Mulher volta a usar o nome chinês de batismo após 23 anos por amor às origens: “Me faz ser quem sou”

JiaYing relatou que retornou ao nome de batismo após ter crescido com o nome Caroline – escolhido pelos pais imigrantes para facilitar a adaptação da família aos Estados Unidos

Resumo da Notícia

  • JiaYing chamou-se Caroline por 23 anos, quando decidiu retornar ao nome chinês de batismo
  • Ela contou que o nome "americanizado" foi escolhido pelos pais imigrantes como forma de facilitar a adaptação da família para os costumes dos EUA
  • Jia relatou ainda que o motivo da escolha da mudança veio após a vitória do presidente Barack Obama

JiaYing chamou-se Caroline por 23 anos. Isso porque os pais, imigrantes chineses, optaram pela mudança do nome da filha quando chegaram aos Estados Unidos para facilitar a adaptação da família aos costumes do novo país. Em entrevista ao portal Today, Jia contou que optou por retornar ao nome original por causa do presidente Barack Obama – que assumiu o comando de uma potência mundial com um nome tão incomum quanto o dela.

-Publicidade-

“Como eu estava na pré-escola, não entendi muito bem as palavras e não sabia porque estávamos fazendo isso. Meus pais escolheram ‘Caroline’ para a nossa vida nessa pequena cidade americana. Eram os anos 80, e Yu-Ying virou Diana, Tai-Jen virou Jane Ruey-Der virou Ray. Foi uma assimilação sonora”.

JiaYing contou que os pais escolheram o nome dela pela associação sonora da pronúncia de seu nome chinês (Foto: iStock)

Foi aos 23 anos – e depois de casada – que JiaYing retornou ao nome de origem chinesa. “Mudei meu nome e sobrenome – e acabei retornando ao meu nome de batismo. Tínhamos acabado de eleger o presidente Barack Obama. E se as pessoas podem dizer Barack, elas podem falar JiaYing, né?”, brincou.

11º Seminário Internacional Pais&Filhos – A Sua Realidade

Está chegando! O 11º Seminário Internacional Pais&Filhos vai acontecer no dia 1 de junho, com oito horas seguidas de live, em formato completamente online e grátis. E tem mais: você pode participar dos sorteios e ganhar prêmios incríveis. Para se inscrever para os sorteios, ver a programação completa e assistir ao Seminário no dia, clique aqui!

As dificuldades do nome estrangeiro

JiaYing ainda contou que, após muito esforço e vários currículos enviados, conseguiu um emprego com o nome de nascença. E, com essa preocupação em mente, escolheu para os filhos nomes que fossem americanos – mas que tivessem uma pronúncia universal para pessoas que não tem inglês como idioma nativo. Dessa forma, satisfez o desejo do marido e o dela próprio:

“Dei aos meu filhos nomes que eles poderiam encontrar em lojas de souvenir”, brincou, “Joseph e Paul. Você nunca viu ninguém perguntar como se pronuncia ‘Joe’, né?”. Mesmo com os empecilhos culturais, JiaYing desabafou que não se arrepende de ter reassumido o nome chinês: “Meu nome incomum me faz a pessoa especial que sou – o que Caroline nunca faria por mim”, declarou.

“Amigos do meu passado como ‘Caroline’ eventualmente aprenderam a pronunciar JiaYing – que é um nome que requer esforço para ser dito corretamente. Mas é 2021: temos contato com cada vez mais culturas e não mudaremos a diversidade étnica do nome de alguém só para facilitar a comunicação”, enfim declarou JiaYing.