Bebê anda pela primeira vez com 6 meses em vídeo e mãe faz relato: “Ficamos de boca aberta”

Em entrevista exclusiva à Pais&Filhos, Gessica Magalhães contou sobre o desenvolvimento do filho, Rafael, e compartilhou o momento inédito do menino andando sem nenhum apoio

Resumo da Notícia

  • Gessica mostrou em primeira mão o vídeo do filho andando
  • Atualmente, Rafael está com oito meses de vida
  • Entenda a importância de não estimular cedo demais o bebê a andar

Já pensou seu filho sair andando por ai aos seis meses idade? Isso foi o que aconteceu com Gessica Magalhães, mãe de Rafael, que tomou um susto ao ver o bebê dando os primeiros passos tão cedo. Após de mais de 28 horas em trabalho de parto, o menino veio ao mundo no dia 6 de maio de 2020, com 52 centímetros e pesando 3,744 kg.

-Publicidade-
Rafael deu um susto na família ao aparecer dando os primeiros passos (Foto: Arquivo Pessoal)

Aos dois meses, a mãe passou a colocar Rafael de bruços por alguns minutos, todos os dias pela manhã, segundo as recomendações da pediatra. Já aos três meses, o bebê começou a rolar para os lados e com medo de que ele pudesse se machucar, Gessica sugeriu comprar um tatame para que ele pudesse ficar no chão.

Mais um mês se passou e Rafael começou a sentar se firmar sozinho! Aos cinco meses, ele já tentava ficar em pé sem ajuda, apoiando na cadeira, até conseguir abaixar e levantar. Para a surpresa de Gessica, aos seis meses de vida, ela pode acompanhar de perto o bebê dando os primeiros passos. “Ficamos sem reação, de boca aberta”, lembrou a mãe.

“E não parou por aí. Aos 7 meses o Rafael começou a falar ‘mamã’. Chorei de tanta emoção ao ver ele tão pequenininho já andando e falando”, disse Gessica. Sobre o desenvolvimento, a pediatra da família disse que aos cinco meses ele tinha o peso e a altura de um bebê de 9 a 10 meses, além de uma coordenação motora boa. Vale lembrar que o desenvolvimento precoce do bebê não foi forçado pela família.

A visão da especialista

Em uma conversa com a Dr. Flávia Oliveira, pediatra pela Sociedade Brasileira de Pediatria, tiramos as principais dúvidas sobre o desenvolvimento precoce. Em relação a andar cedo, a especialista comenta que geralmente não é comum acontecer.

A pediatra fez um alerta sobre a importância de não forçar o bebê a andar (Foto: Arquivo Pessoal)

“O habitual não é a criança andar tão cedo. Normalmente o desenvolvimento neurológico, craniocaudal, começa sustentando a cabeça, o pescoço, a parte superior do tronco. Perto do quinto mês, ela começa a sentar com o apoio dos braços. Já entre o quinto e o sexto mês ela pode começar a sentar sem apoio. O desenvolvimento não é uma coisa rígida e engessada, então após o sexto mês a criança já começa a ter uma posição melhor de barriga para baixo e já passa a ensaiar o engatinhar. Mas, geralmente, andar entre os seis e sete meses não é comum”.

Riscos

Se os movimentos tem interferência da família, não sendo o caso de Rafael, a pediatra faz um alerta sobre os perigos que isso pode causar ao desenvolvimento: “Quando a situação é forçada, você pode ter uma sobrecarga dos membros inferiores, que ainda não estão prontos para receber essa carga de peso e nem da parte muscular, mas isso é muito individual e é importante ver caso a caso”, conclui.

Assista ao vídeo de Rafael andando: