Saudades de isolamento em tempos de isolamento social

Se tem uma coisa que o isolamento social me tirou e sinto uma falta danada é a de me isolar

Sempre amei minha própria companhia e queria aproveitar esse tempo e silêncio preciosos! (Foto: Getty Images)

Dia desses meu marido resolveu me presentear com nosso bem mais precioso nesse momento: o silêncio. Ele arrumou as crianças e foram todos passear, levando até a bola de futebol! Quase tive um treco de ansiedade porque sempre um deles refuga na hora de sair. Mas dessa vez eles saíram MESMO. E quase caiu uma lágrima de felicidade.

Se tem uma coisa que o isolamento social me tirou e sinto uma falta danada é a de me isolar. Com marido e três filhos pequenos em tempo integral em casa, o amor maior do mundo que que sentimos um pelo outro tem caminhado coladinho com o caos. Fora que eu não paro um segundo. Às vezes chega o fim da tarde e percebo que eu sequer me sentei. Mas não nesse dia. Nesse dia eles saíram. Foi a porta bater e eu comecei uma lista mental enumerando tudo o que eu poderia fazer com essa oportunidade de um tempo com a casa só para mim.

Trabalhar, escrever, tomar um café no jardim, ler um romance, estudar, ver porcaria na TV, ver jornal e de fato conseguir ouvir a notícia, dormir, curtir o silêncio ou ouvir música nas alturas. As possibilidades eram incontáveis, mas o tempo, curto. Ele não deu uma estimativa de quanto tempo ficariam fora, portanto precisava focar em me divertir. Resolvi então fazer um pouco de cada coisa. Menos dormir. Queria aproveitar o silêncio precioso de olhos bem abertos.

O tempo em família que a quarentena tem nos proporcionado é ótimo, mas foi muito bom ficar sozinha também (Foto: Shutterstock)

A vida de expatriada traz um ciclo de renovação em todas as áreas da vida. Além dos lugares para conhecer, o novo endereço, o estilo de vida e a língua, a parte social do novo “pacote de benefícios“ é realmente extensa e intensa. Caso você esteja aberta para isso, pode fazer grandes amigos íntimos em tempo recorde. Mas se tem uma coisa que eu sempre amei fazer e que, morando fora do Brasil, eu aprendi a lidar de forma ainda mais especial, foi com a minha própria companhia.

Sempre curti ficar sozinha. Tanto na rua quanto em casa. Um espaço de tempo só meu em que eu possa fazer tudo ou simplesmente nada, é sagrado para mim. E, convenhamos, depois dos filhos é cada vez mais difícil esse momento pessoal.

De fato a quarentena criou algumas oportunidades em família, que não podemos ignorar. Um lado meu se desespera, mas o outro foca no fato de que foi criado um espaço de tempo (obrigatório) para convivência e quem está sabendo aproveitar terá um ganho significativo na relação de confiança e intimidade emocional com os filhos.

Tudo é muito lindo, mas olha, não tenho nem palavras para descrever o quanto eu amei a hora e meia que fiquei sozinha em casa! Não poderia recomendar coisa melhor para todas as mães e pais nesse momento de quarentena. Mesmo que seja um pouquinho só.

Mas vamos voltar ao meu dia mágico!

Ouvi assim que eles fecharam o primeiro portão de ferro da casa. Ele faz um barulho de trovão. Meu tempo havia acabado. Chegavam juntos minha tempestade e meu arco-íris. Eles chegaram felizes e me encontraram ainda mais feliz.

Tiraram os casacos, guardaram as garrafas de água, lavaram as mãos e tiraram o bebê do carrinho, quando então meu marido vira para mim, abre um sorriso e pergunta: agora me conta o quê você fez com esse tempo? E caímos os dois na maior gargalhada! Sem falar uma só palavra, nós dois estávamos sentindo a mesma falta do isolamento. E, claro, também fiz o mesmo por ele. Mas o inverso não teve tanta poesia. Pelo menos sob o meu ponto de vista.

 

Novo aplicativo Pais&Filhos Interativo: teste seus conhecimentos, acumule pontos para trocar por prêmios e leia conteúdos exclusivos! Para baixar, CLIQUE AQUI.