Boa Notícia

Conversar com seu filho melhora o desenvolvimento cerebral dele

E pode já ir falando com ele na sua gestação; saiba o porquê

Gabrielle Molento

Gabrielle Molento ,Filha de Claudia e Pedro

Happy family mother and child daughter play and laughing in bed

(Foto: iStock)

Se você quer estimular o desenvolvimento cerebral do seu filho e não sabe o que fazer, fique tranquilo, essa matéria é especial para você. É possível impactar de maneira positiva os pequenos desde o momento em que estão dentro da barriga.

De acordo com a pesquisa da professora Meredith Rowe, da Escola de Educação da Universidade de Harvard, ter “boas conversas”, ou seja, conversas de qualidade, desde os primeiros meses de vida é essencial para o desenvolvimento do cérebro das crianças e impactante no futuro dos mesmos.

Meredith e seu time gravaram, por dois dias, as interações que 36 crianças, entre quatro e seis anos, tinham com seus pais e com seus cuidadores. A qualidade desses diálogos foi medida de acordo com o número de “idas e vindas” da conversa: o número de vezes em que a criança perguntava e o adulto respondia — e vice-versa.

As mesmas crianças passaram por exames de ressonância magnética. O resultado? A área do cérebro responsável pelo processamento da linguagem era mais ativa naquelas que tinham experimentado diálogos mais significativos.

Luciana Brites, psicopedagoga, uma das fundadoras do Instituto NeuroSaber (PR) e mãe de Helô, Gustavo e Maurício explicou que a aprendizagem da criança, na verdade, acontece a partir do quarto mês de gestação, quando começa o desenvolvimento do aparelho auditivo da criança.

A psicopedagoga contou para a Pais&Filhos sobre a pesquisa de alguns americanos que tem uma grande relação com os bebês ainda dentro da barriga. “Eles fizeram uma experiência com mães a partir do quarto mês de gestação, colocando fones de ouvido na barriga delas com uma determinada música durante sete dias. Quando esses bebês saiam, o que acontecia que era muito interessante… Eles tocavam a mesma música e a criança tinha uma movimentação diferente do que de quando colocavam outras músicas”, diz Luciana.

Quem dirá então quando se trata do pai e da mãe conversando com eles! Livia Marques, coach, psicóloga organizacional e clínica com foco em terapia cognitiva comportamental e mãe da Maria e do Miguel concorda com essa prática de falar com o bebê ainda durante a gestação.

“É legal falar com o bebê desde que ele está na barriga porque ele escuta a voz da mãe, do pai e começa a entender a tonalidade. Isso acalma o bebê, ajuda ele a entender que você está preocupado com ele e pode ter u