21 fantasias para o seu filho

Porque pra eles, a graça do Carnaval está em colocar a fantasia preferida e fazer muita bagunça

 

-Publicidade-

Das mais clássicas às de personagens, as fantasias fazem a alegria das crianças. E o gostoso é escolher junto! Veja essa galeria e escolha a preferida da família!

A importância do brincar e se fantasiar

A infância é uma fase muito importante no desenvolvimento do indivíduo. É ali que temos o primeiro contato com o mundo, descobrimos os outros e, principalmente, nós mesmos. E é impossível falar desse estágio da vida sem lembrar das brincadeiras. Provavelmente, uma das suas primeiras memórias tem alguma relação com o brincar. E isso não acontece à toa, a brincadeira vai muito além de um momento de lazer, é uma oportunidade de aprendizado e troca constante e fundamental. Por isso, a Pais&Filhos defende que brincar é um direito de todas as crianças.

Bianca Solléro, psicóloga, arte-educadora e arteterapeuta, autora do livro “Pare de perguntar o que seu filho vai ser”, mãe de Elisa e Filipe, explica: “Os principais estudiosos do desenvolvimento infantil como Montessori, Piaget, Vygotsky e Winnicott atestaram que as crianças aprendem diversos conceitos sobre o mundo através do brincar. No brincar elas experimentam emoções, exploram o corpo, reconhecem seus limites e orgulham-se de suas conquistas. Aprendem a ganhar e a perder, e a lidar com seus medos”. Para a especialista, brincar é uma metodologia de aprendizagem eficiente e, por isso, merece ser explorada.

O mais interessante de tudo é que você pode moldar a atividade de acordo com o objetivo e necessidade da criança, sendo possível brincar com um mesmo brinquedo por muito tempo para que ela consiga explorá-lo em todas as possibilidades e desenvolver a concentração, ou até mesmo variar a brincadeira e brinquedos ampliando o repertório imaginativo e relacional dela.

Casa da mãe Joana, que nada!

Com tantas opções, o risco da casa virar uma zona é grande. Confira 7 dicas fáceis para manter os brinquedos do seu filho organizados

  • 1. Desapegar faz bem: antes de tudo, vale fazer uma faxina para ver quais brinquedos não são mais usados para serem descartados, arrumados ou doados.
  • 2. Planejamento é a chave: em pouco tempo, seu filho poderá organizar as coisas com a sua supervisão e, depois, sozinho. Planeje algo que a criança possa ter certa autonomia mais para frente.
  • 3. Espaços vazios são necessários: resista ao impulso de encher todos os cantos com os brinquedos que seu filho usa. A dica é tentar preencher apenas um terço do quarto.
  • 4. Cada coisa no seu lugar: se você tem filhos de idades diferentes usando o mesmo espaço para brincar e guardar os brinquedos, cuidado para organizar os itens de forma segura.
  • 5. Crie categorias: agrupe os itens que são semelhantes em categorias. Compre caixas e cestos para organizar e guardar tudo.
  • 6. Lógica ajuda: os objetos e brinquedos que fazem sentido e são usados juntos devem continuar juntos, como livros de desenhos, canetinhas e lápis de colorir.
  • 7. Pense no conforto: é preciso considerar o bem-estar de toda a família. Na hora de planejar o cômodo oficial das brincadeiras, lembre-se de incluir sofás, pufes, tapetes macios…

Previous Next