Bebê prematuro volta para casa após passar por duas cirurgias cardíacas

Cruz Campbell nasceu com dois problemas no coração e precisou ser operado às pressas quando tinha apenas 10 semanas de vida

Resumo da Notícia

  • Um bebê recebeu alta após passar por duas cirurgias cardíacas
  • Cruz Campbell nasceu prematuro e precisou ser operado às pressas quando tinha apenas 10 semanas de vida
  • Meses depois, ele recebeu alta e está se recuperando em casa

Com apenas 10 semanas de vida, Cruz Campbell precisou passar às pressas por uma cirurgia cardíaca de peito aberto para curar duas doenças raras com as quais ele nasceu. O menino vive com a família na cidade de Bathgate, na Escócia.

-Publicidade-

Del Campbell, pai do menino, contou que o filho foi diagnosticado com dois problemas: a tetralogia de Fallot, quando a válvula que leva o sangue entre o coração e os pulmões é estreita demais, o que dificulta o transporte de oxigênio e resulta em um sangue pobre em O2; e defeito no septo ventricular.

Alana, mãe de Cruz, descobriu que o filho tinha problemas cardíacos na 20ª semana de gravidez, quando estava fazendo um exame. No dia 15 de julho, quando ela entrou em trabalho de parto, o bebê surpreendeu a todos da equipe médica ao nascer saudável e não precisar ir direto para a UTI neonatal, como era acreditado.

Cruz passou por duas cirurgias cardíacas com apenas 10 semanas de vida e sobreviveu
Cruz passou por duas cirurgias cardíacas com apenas 10 semanas de vida e sobreviveu (Foto: Reprodução Daily Record)

“Ele estava absolutamente bem. Tinha literalmente uma equipe médica parada na porta esperando para levá-lo às pressas para a UTI, mas no final, ele não precisou de nada”, lembrou o pai em entrevista ao Daily Record.

Mas, 10 semanas depois, durante um exame de rotina os médicos descobriram que Cruz estava com o nível de oxigênio no sangue muito baixo. Isso fez com que o menino precisasse ser operado às pressas. “Foi o momento mais difícil de toda a nossa vida. Ninguém deveria ter que perguntar a um médico: ‘quais são as chances de meu bebê sobreviver?'”, ele Del disse.

12 horas depois que a cirurgia havia começado, os médicos informaram os pais de Cruz que o bebê estava bem e que tinham conseguido arrumar o problema da válvula. Apesar disso, ainda havia um buraco de 1 mm em seu coração. “Essa notícia foi um grande alívio. Mas depois eles disseram que não conseguiram fechar o buraco totalmente, então houve uma mistura de emoções”, disse a mãe.

As semanas seguintes da vida de Cruz foram no hospital, se recuperando da cirurgia. Em 3 de outubro, após um escaneamento, descobriram que o buraco de 1 mm havia aumentado para 4 mm e ele precisou ser submetido a outra cirurgia. “O próprio cirurgião de Cruz nos ligou para dizer que eles haviam reparado o orifício completamente. Foi um alívio tão grande”, contou o pai.

Cruz recebeu alta no dia 28 de outubro e está se recuperando em casa. “Ele acabou de parar de receber alimentação através de um tubo e mudou para uma mamadeira, o que é ótimo de ver. Os médicos dizem que ele não deve precisar de mais cirurgias até que se torne adulto, mas ele deve fazer exames regulares para ficar de olho. Estamos muito felizes por tê-lo em casa”, comemorou Del.