Criança recria fotos de grandes mulheres negras após sofrer racismo: “Toda menina pode ser o que quiser”

Ana Luiza foi incentivada pela mãe à realizar uma releitura de fotos de mulheres negras que marcaram a história para que ela pudesse se sentir bem como ela é

Resumo da Notícia

  • Menina fez releitura de fotos de grandes mulheres negras na história
  • A ideia foi incentivada pela mãe
  • O objetivo era para que a menina se sentisse bem como ela quisesse

Ana Luiza Mascarenhas Grise, de 9 anos, realizou uma releitura com fotos de grandes mulheres negras, incentivada pela mãe, Márcia Mascarenhas Crise, cientista. A menina já foi vítima de racismo em diversas situações, portanto, o objetivo do projeto é o de mostrá-la “que ela saiba que pode ser quem quiser”.

-Publicidade-

Em uma ocasião, Márcia percebeu que a filha estava passando óleo capilar excessivamente nos fios do cabelo para deixá-lo liso e preso, após ouvir um comentário de um colega que afirmou que seu cabelo estava desarrumado.

Menina faz releitura de fotos de mulheres negras

“Precisava fazer algo para mostrar que ela precisa valorizar quem é e que é igual a mim e a todas as pessoas, sem diferença por causa da cor da pele. Eu percebo os olhares, os comentários que muitas vezes as pessoas fazem dizendo que não estão sendo racistas, mas estão”, explicou a mãe.

Márcia listou mulheres negras que fizeram história na humanidade e separou algumas fotos para que Ana Luiza fizesse a releitura. O projeto foi chamado “Nós podemos!” e foi criado uma página nas redes sociais para compartilhar a ideia. Desde então, o projeto se tornou um momento de diversão e muito aprendizado entre elas.

Menina faz releitura de fotos de mulheres negras
Representando Ellen Johnson Sirleaf, vencedora do prêmio Nobel da Paz (Foto: Reprodução / Instagram / G1)

Uma pesquisadora de racismo na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), ressaltou a importância disso. “É muito importante que as crianças se vejam representadas. Que elas conheçam. É preciso que crianças saibam de onde vem a história do rock, do samba, mesmo que não goste, mas de onde vem a história da capoeira, quais foram os artistas negros que revolucionaram. O que fizeram especial, de diferente. É importante que a gente conte a história das coisas, que a gente mostre isso, e que as crianças tenham referência”.

Ana Luiza representou grandes nomes na história como Michelle Obama, Wangari Muta Maathai (primeira mulher africana a receber o Prêmio Nobel da Paz), Serena Williams (maior campeã de Grand Slam na era aberta) e Enedina Alves Marques (a primeira mulher a se formar em um curso superior no estado do Paraná).