Criança

Mãe diz sim para os filhos por um dia inteiro. Veja só o que aconteceu!

Você conseguiria?

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Foto: iStock

Foto: iStock

“No outono passado, eu estava à toa mexendo na internet quando eu me deparei com uma foto no Instagram da Jennifer Garner. Mãe de três, ela parecia realmente exausta em uma selfie, sem maquiagem, em que ela explicava que tinha celebrado naquele dia o “Dia do Sim”, uma tradição anual que ela diz sim para seus filhos – não importa quão exorbitantes os pedidos sejam – por 24 horas.

Tenho que admitir, fiquei intrigada. Eu digo não aos meu filhos com tanta frequência que quando eu falo a palavra ‘sim’, eu mesma me surpreendo. ‘Não, você não pode comer doce no café da manhã. Não, você não pode jogar no meu iPhone. Não, você não vai ouvir uma história antes de dormir porque você demorou demais para se arrumar e ir para a cama’. E se, ao invés de dizer não constantemente, eu me desse uma folga da vida adulta e dissesse sim?

Fiquei pensando na ideia por meses, mas eu não tinha coragem para tentar o ‘Dia do Sim’ até o último mês de Março. Meus filhos – Max, de 7 anos, e Zooey, de 5 anos – estavam muito empolgados quando contei a eles a novidade. Ficaram cochichando por dias, planejando todas as mais divertidas atividades que eles poderiam sonhar para a agenda deles.

Finalmente, depois de muitas expectativas, o grande dia chegou. Eu estava um pouco nervosa que a minha agradável casa e minhas crianças bem comportadas poderiam se tornar coisas do passado antes mesmo da hora de dormir, então eu decidi colocar algumas regras para manter a minha sanidade intacta. Primeiro, ninguém está permitido de faltar da escola. Segundo, sem viagens para lugares que fiquem a mais de uma hora daqui. Terceiro, não é permitido gastar mais de $50 dólares. Sem ser isso, o céu era o limite!

Felizmente, o primeiro pedido dos meus filhos foi simples. Eles queriam comer o croissant de chocolate da Venda do Joe no café da manhã. Eu geralmente só dou para eles comidas saudáveis, como iogurtes ou smoothies, então eles mal podiam esperar para pôr as mãos em chocolates e açúcar. Minha filha até pediu um doce para a sobremesa (sim, sobremesa depois do café da manhã), a qual eu cedi apenas do ‘não!’ gritando na minha cabeça. E decidi, se não posso lutar contra eles, posso muito bem me juntar a eles, então peguei um prato, sentei, e comi os doces também.

Após literalmente lamber nossos pratos, meu filho foi para a escola enquanto a minha filha se arrumava para me acompanhar em um compromisso. Como era o ‘Dia do Sim’, Zooey concordou em ir comigo em uma aula de pilates com uma amiga, enquanto ela e a filha da minha parceira de aula brincavam no Kid’s Klub. Nós duas passamos um ótimo momento com nossos amigos, então ambas saíram ganhando.

Depois da aula, Zooey pediu para irmos almoçar, então fomos para o restaurante favorito dela. No meio de mordidas em frangos e batatas fritas, ela decidiu que era hora de ir ao playground. Nós encontramos alguns amigos pouco minutos depois em um parque ali perto, onde eu consegui descansar um pouco em uma manta de piquenique enquanto Zooey brincava com os amigos. Depois de ficarem cansados de brincar no escorrega, eles ficaram correndo em círculos brincando de pique esconde. Quando chegou a hora de pegar Max na escola, nos despedimos e fomos para o carro. No caminho para a escola, ela me perguntou se poderia pedir sorvete ‘para viagem’ e, claro, eu disse sim, e paramos em uma padaria próxima antes de encontrar o irmão dela.

Depois que Max entrou no carro, ele comeu doces e em seguida tomou sorvete em casa, e prontamente me perguntou se ele poderia jogar vídeo game e conversar pelo FaceTime com seu amigo Dylan por toda a tarde. Eu e meu marido normalmente não deixamos ele jogar vídeo game durante a semana, mas que escolha eu tinha? ‘Sim’, eu respondi. As duas crianças então foram escada acima para nosso escritório ligar o computador. Enquanto isso, eu liguei para a mãe de Dylan para saber se ele poderia falar com Max, então passei o telefone para ele, para que os dois pudessem conversar enquanto jogavam.
Decidi relaxar, lendo meu novo livro no sofá. Ora, não era tão ruim assim. Depois de algumas horas, era a hora da primeira aula de ginástica da Zooey, em um estúdio perto de casa. Ela conseguiu praticar cambalhotas e espacates, então decidimos celebrar seu sucesso posteriormente. As crianças imploraram para pedir pizza e massa frita para a janta, então eu fiz o pedido e liguei para o pai deles para avisar que tinha uma pizza a caminho.

Em casa, eles me pediram para ver um filme enquanto comiam, e – acertaram! – eu disse sim antes de fazer uma salada sem graça para mim, uma vez que eles se recusaram a dividir a pizza deles comigo. Quando o filme acabou, comecei a perder o fôlego e finalmente era quase hora de ir para a cama. Depois de um último pedido para ouvir uma história na cama, o qual eu concedi feliz, as crianças colocaram seus pijamas, escovaram seus dentes e entraram debaixo dos cobertores. Assim que eles deitaram, não pude deixar de pensar em como o dia foi inocente. Não houveram birras, choros porque eles não poderiam ir para a Disney ou perguntas insanas as quais eu não poderia concordar. Eles queriam apenas coisas muito simples que os fariam felizes – doces, amigos, brincadeiras e filmes. E honestamente, essas são as mesmas coisas que me deixam feliz. Talvez os adultos também devam ter um ‘Dia do Sim’ no ano.

Assim que meu filho começou a adormecer, ele me perguntou baixinho: “mãe, podemos ter um ‘Dia do Sim’ ano que vem de novo?” “Sim”, eu disse. “Sim, nós podemos”.

Leia também:

Avó pode tudo sim! E agora temos provas científicas

Saiba porque esta avó mudou completamente seu estilo 

Relato de mãe: “não existem regras na casa dos avós dos meus filhos e eu não ligo mais”

 

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não