5 linguagens do amor: descubra como seu filho demonstra que te ama

Crianças demonstram os sentimentos, pensamentos e o amor de maneiras diferentes. Saber qual é a forma que faz mais sentido para o seu filho fortalece o vínculo entre vocês. Separamos as melhores dicas para que ele se sinta sempre muito amado!

Cada um tem seu jeito. E isso vale para as crianças também. Seu olho pode ser o mais extrovertido da sala, ou o mais tímido. Pode ser que ele seja obediente, ou que te desafia e em alguns momentos. Mas independente da personalidade dele, pode ser que em alguns momentos ele não consiga se expressar muito bem, explicar o que está sentindo. Ou até, pode ser que ele não entenda que você o ama, mesmo você repetindo isso duas, três, quatro vezes ao dia. Segundo a teoria do americano Gary Chapman, terapeuta de casamentos conhecido pelo best-seller “Five Love Languages” – em português, “As Cinco Linguagens do Amor” – todos nós expressamos o amor e o experimentamos de cinco maneiras. E elas podem ser a presença física, o toque, o presente, as palavras de armação, as atitudes e a qualidade de tempo juntos. Mas, mais importante do que conseguir reconhecer e lidar com cada uma delas, é saber que para cada pessoa existe uma forma que funciona melhor.

-Publicidade-
Existem 5 linguagens do amor, descubra a do seu filho (Foto: Getty Images)

“O amor nunca é demais quando estamos falando sobre amar os olhos”, diz Gary, que, anos depois, escreveu o livro “Five Love Languages of Children” – em português, “As Cinco Linguagens do Amor das Crianças”. “Você tem que saber como comunicar o amor para as crianças de forma que elas sintam de fato”. Na prática Sabendo disso, convidamos você a refletir sobre a maneira como tenta demonstrar seu amor pelo seu filho. Pode ser que você perceba que a reação dele em todas as vezes que você disse “eu te amo”, não chegue perto de um abraço apertado ou outras demonstrações físicas de carinho. Saber a melhor maneira como a criança reconhece o amor, facilita (e muito!) os momentos tristes, nervosos e de conversas sérias. Entender o que funciona para o seu filho, vai te deixar preparado para fazer exatamente o que ele espera quando for preciso. Mas, mesmo assim, não pare de dizer que o ama. E isso porque, segundo Gary, as crianças precisam receber manifestações de amor em todas as cinco linguagens. Dito isso, saber qual é a que o seu filho prefere, ajuda a fortalecer o laço entre vocês e ajuda a evitar comportamentos indesejados.

O primeiro passo para identificar a principal linguagem de amor do seu filho é perceber como ele demonstra o amor que sente por você. E quer saber por quê? É que nós costumamos oferecer o afeto da forma como gostaríamos de recebê-lo. E com o passar do tempo, aprendemos que essa regra pode dar errado quando estamos em um relacionamento. Isso porque muitas vezes precisamos ceder e oferecer amor da maneira que a pessoa com quem estamos nos relacionando prefere. Mas desde que as crianças não se apeguem a isso, costumam oferecer o afeto que desejam receber. Por isso, apresentamos a seguir as cinco maneiras que ele pode falar sobre ou pedir por amor.

-Publicidade-

1 Me abrace e me acompanhe

Por mais que um abraço possa significar “eu te amo” para todas as crianças, para aquelas que amam contato físico, esse gesto significa “EU TE AMOOOO!”.

SEU FILHO É ASSIM? Gary tem um filho que prefere essa linguagem de amor. “Quando eu chegava em casa, ele saía correndo pela porta, agarrava a minha perna e escalava o meu corpo inteiro”, lembra. “Se as crianças estiverem constantemente perto de você, te tocando, ou brincando com o seu cabelo, isso é um sinal de que elas gostam do toque”, diz Laura Markham, autora do livro “Peaceful Parent, Happy Kids” – em português, “Pais Pacíficos, Crianças felizes”.

EXPRESSANDO O AMOR: Sente-se no sofá, pergunte se seu filho quer ficar no seu colo. Depois, ofereça uma massagem caprichada nos pés dele. Com o tempo, você vai descobrir o que melhor funciona para ele. Pode ser que andar de mãos dadas seja o gesto de amor dele, ou beijos no rosto, ou toques de mão únicos, enfim! O céu é o limite.

CUIDADO COM: tapas, socos e atitudes mais violentas machucam os sentimentos de todas as crianças, mas especialmente uma criança que tem o toque como linguagem primária do amor, segundo Gary. Pesquisas mostram também que os pais tendem a ser menos afetivos fisicamente com as filhas quando elas começam a se desenvolver, porque começam a se sentir desconfortáveis. Para solucionar o problema, o autor sugere um abraço de bom dia e um abraço de boa noite, mesmo quando elas ficarem mais velhas.

2 Presentes, por favor!

Crianças que adoram receber presentes não querem simplesmente ficar acumulando mais e mais coisas.

O SEU FILHO É ASSIM? Uma pessoa que tem a linguagem primária do amor demonstrada por meio de presentes costuma se importar muito com a forma como o presente está embrulhado e, geralmente, consegue se lembrar da pessoa que deu o presente depois de meses e até de anos. Outra dica: crianças com essa linguagem para o amor, sentem dificuldade em jogar as coisas fora, mesmo que já tenham se esquecido da existência do objeto.

EXPRESSANDO O AMOR: Seu filho consegue enxergar o presente como uma representação de amor e não precisa ser algo grandioso para isso. Pode ser, por exemplo, um novelo de lã da cor que ele te contou que gosta há duas semanas. O que realmente importa para ele é o gesto e não o quanto de dinheiro você pagou por aquilo. Outra ideia é deixar um origami na mesa do seu filho ou uma for no travesseiro. Comprar adesivos e quadros também são formas de fazer com que essas crianças se sintam valorizadas, sugere o pediatra americano Harvey Karp. Com certeza seu filho vai querer pendurar todas as lembranças nesse quadro.

CUIDADO COM: “Nós temos que ser cuidadosos para não exagerarmos nos presentes”, alerta Gary. “E nós precisamos dar às crianças presentes que são apropriados para a idade delas e que serão úteis, evitando comprar algo só porque elas querem”, completa. Ele também destaca que os pais, principalmente os divorciados, tendem a dar muitos presentes, numa tentativa de substituir outras linguagens de amor. Vale ficar de olho nesse tipo de atitude.

3 Fala comigo! 

Para crianças que ouvem atentamente aos outros e gostam de falar, as suas palavras de amor importam muito.

EXPRESSANDO O AMOR: pequenos bilhetes nas lancheiras, textos e até pulseiras com palavras como “meu herói” impressas podem significar tudo para elas. Gary se lembra de uma mãe que se abaixa na altura da filha, olha bem nos olhos dela e diz: “Você é a melhor coisa que já aconteceu na minha vida. Você é muito importante para mim”.

CUIDADO COM: Palavras grosseiras e xingamentos podem machucar demais essas crianças. Gary diz que é muito importante elas ouvirem apenas o “eu te amo”, em vez do “eu te amo, mas…”. Essas três palavras unidas a outras expressões, como “boa menina” e “bom menino”, podem significar o “eu te amo quando…”. Por isso, tenha certeza de que está passando a mensagem de que o seu amor é incondicional.

4 Faça isso por mim

A linguagem de amor por meio de atitudes pode soar como algo peculiar. Mas é fácil de entender: é aquela criança que se sente valorizada porque o bolo é do sabor preferido dela ou porque recebeu uma fatia de abacaxi, pelo simples fato de ter sido lembrada.

O SEU FILHO É ASSIM? Ele pode pedir para você amarrar o tênis dele, consertar um brinquedo quebrado ou afofar o travesseiro. Como resultado, os pais dessas crianças acabam se sentindo empregados.

EXPRESSANDO O AMOR: As possibilidades são infinitas, incluindo fazer alguma exceção a uma regra geral, como ajudar a criança de nove anos a vestir uma calça ou aquecer as roupas dela numa manhã fria. Mas essas crianças, como todas as outras, vão crescer e é importante encorajar a auto resiliência. A melhor coisa que você pode oferecer ao seu filho é ensiná-lo uma nova tarefa, explicando o passo a passo, e ensinando-o a ser mais capaz, sugere Gary.

CUIDADO COM: “É claro que você não precisa fazer tudo o que ele pedir”, lembra Gary. E atente-se em como essas exceções às regras se acumulam. Não deixe que se acostume a não guardar a roupa dele ou qualquer outra atividade porque você simplesmente o faz de vez em quando.

5 Vem cá! Olha isso! 

Essas crianças se sentem mais valorizadas quando você escolhe passar um tempo junto.

O SEU FILHO É ASSIM? Uma criança que sempre diz “vem ver isso!” ou pede “brinca comigo” está pedindo para que você tenha um tempo de muita qualidade ao lado dela. A filha de Gary sempre dizia: “Pai, vem cá no meu quarto! Quero te mostrar uma coisa”, e tudo o que ela queria era aproveitar o tempo com ele.

EXPRESSANDO O AMOR: Além de estar junto, ofereça toda a sua atenção exclusivamente. Gary chama isso de um “tempo especial”, e diz que pode ser curto, contanto que o seu filho escolha a atividade. É aquele papo: qualidade é mais importante do que quantidade.

CUIDADO COM: “Se a linguagem de amor do seu filho é com o tempo de qualidade, castigos como colocar e isolar a criança no quarto são punições muito severas”, explica Gary. Também não pense que passar um tempo juntos significa abandonar todos os seus afazeres. Atitudes simples como ler seu livro ao lado do seu filho, enquanto ele brinca vai fazer com que ele fique satisfeito e se sinta amado. Apesar de Gary acreditar que as linguagens do amor são como os nossos traços de personalidade que permanecem com a gente do início ao fim da vida, as preferências do seu filho podem mudar conforme o momento de vida e idade. Fique ligado nas reações dele e nos comportamento que apontam para o tipo de amor que ele precisa naquele instante e não tenha dúvidas que você vai conseguir se conectar com ele e se reconectar inúmeras vezes enquanto ele cresce.

-Publicidade-