Família

9 coisas da sua infância que seu filho NUNCA vai entender

O mundo mudou demais e tem coisas que eles nunca vão entender!

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: iStock)

(Foto: iStock)

Rebobinar uma fita VHS? Procurar informações sobre elefantes em uma enciclopédia? Graças à tecnologia moderna, a vida mudou muito desde que nós, pais, éramos crianças (assim como mudou em relação aos nossos pais). Vamos então fazer uma viagem ao passando porque aqui listamos 10 coisas – que mudaram para melhor ou pior – que nossos filhos nunca vão experimentar ou entender.

1. Fazer uma ligação significava privacidade ZERO

Lembra quando você tinha que procurar números na lista telefônica ou então memorizá-los? Você tinha que ficar horas ao lado do telefone, caso seu crush ligasse e, se fosse corajosa o bastante para ligar para ele, teria que falar com os pais dele antes! Além disso, aquele pequeno fio do telefone significava que TODAS as suas conversas teriam que acontecer na frente da sua família (ou seja, zero privacidade).

Como não existia celular, você teria que fazer seus planos bem direitinho e marcar os pontos de encontro com os seus amigos antes de sair de casa. Nada de desmarcar o cinema de última hora! Você sabia que estavam te esperando e, se o ônibus quebrasse, você torcia para ter dinheiro ou cartão telefônico para fazer uma ligação em um orelhão para a sua mãe ir te buscar.

2. Você gravava e montava sua playlist na hora

Você esperava o dia todo para ouvir a nova música da sua banda favorita e, se você quisesse ouvir de novo, tinha que ter uma fita cassete em mãos para colocar no gravador e apertar o play assim que a canção começasse no rádio. O truque era tentar começar a gravação bem no comecinho, assim você não gravava o locutor nem os anúncios.

Com filmes e programas de TV era o mesmo esquema: se você fosse esperto, daria um pause na gravação durante os comerciais para você não ter que adiantá-los quando fosse assistir de novo.

3. As fitas de rebobináveis eram a melhor coisa do mundo

Nossos filhos nunca conhecerão o sentimento de ter que rebobinar fitas cassetes e VHS para encontrar a música ou a cena do filme. Toda vez que você colocava uma fita para tocar e descobria que seus irmãos tinham sido muito preguiçosas para rebobinar antes de guardá-la, você teria que esperar e ouvir aquele famoso zumbido.

E então acontecia o pior pesadelo: alguém já tinha regravado toda a sua fita do último episódio de Dawson’s Creek (quem lembra?), que você ainda não tinha conseguido assistir.

Bom, o CD também não facilitou muito a nossa vida, afinal de contas: arranhões!

4. Você não podia escolher quando assistir a um programa de TV

Lá se foram os dias em que nós precisávamos pegar o guia de TV para marcar todos os filmes e programas que gostaríamos de assistir na semana. E quando não tinha nada? Bom, você podia ir a uma locadora de filmes e alugar o último lançamento – claro, se ninguém já tivesse pegado o único exemplar disponível.

Não tinha nada disso de download, streaming, YouTube e aplicativos. Além disso, comerciais também eram uma tortura!

5. Descobrir que você pagou para revelar 10 fotos do seu pé

Muito antes de smartphones e câmeras digitais, você foi forçado a esperar dias para e descobrir se as fotos que você tirou na festa ficaram péssimas ou dignas de estar em um porta-retrato na sua parede.

Selfies não existiam porque, francamente, era muito arriscado: era mais provável que você conseguisse uma foto do seu nariz do que uma imagem perfeita.

Conseguir uma boa foto sem ter os dedos na lente era um verdadeiro presente e, se conseguisse, corria atrás para imprimir cópias para todos os seus amigos.

6. Esperar a internet conectar

Lembra da internet discada, né? Aquele clássico som que era uma mistura de ETs com código Morse está pra sempre marcado em nossa memória. Então, quando você finalmente conseguia se conectar, a conexão caía e você teria que começar tudo do zero.

Pior: se você tivesse só uma linha telefônica e sua mãe precisasse ligar para a sua tia, você teria que se desconectar.

7. Games de computador significavam imagens pixeladas

Se você não passasse o sábado inteiro no fliperama (quem lembra?), você provavelmente estava na casa de algum amigo com seu Game Boy – colorido se você fosse bem rico. Se acabasse a carga, você não poderia apenas botá-lo para carregar, afinal eles funcionavam à bateria ou pilha. Além disso, os jogos eram muito caros, o que significava que você estaria preso ao mesmo game por muito tempo.

Quando os computadores surgiram, chegaram os jogos em disquete ou CD-ROM. Mas pra isso, você teria que esperar a sua vez de usar o único computador da casa e, se seu disquete ficasse preso na máquina ou o CD tivesse um arranhão, já era.

8. Quando o guia de ruas que você estava usando tinha páginas faltando

Antes de existir GPS ou Google Maps, quando você ia pra destino que não conhecia precisava levar no carro aquele guia de papel imenso. Se você não soubesse o caminho, você não poderia simplesmente digitar seu destino no Google Maps, você teria que o guia de mapas gigante para traçar sua própria rota.

Se você tivesse a sorte de ter uma fotocopiadora, você poderia imprimir as páginas que você precisava e marcar seu trajeto. Caso contrário, durante o caminho você teria que ficar conferindo mil vezes no guia.

9. Usar sua coleção de enciclopédia para fazer a lição de casa

Nada de pesquisa no Google para fazer lição de casa. Se você quisesse saber algo para um trabalho da escola, tinha que procurar as informações na sua coleção de enciclopédia.

A coleção que seus pais tinham em casa geralmente era tão desatualizada que você sabia que o que estava copiando não estava totalmente certo, mas que outra escolha você tinha? Passar fim de semana inteiro na biblioteca ou alugar 20 livros sobre um assunto.

Leia também

Filhos de ontem e de hoje: afinal, quais são as diferenças?

Hoje é dia de…resgatar receitas de família

Atari: nostalgia para pais, novidade para filhos

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não