Ana Paula Siebert manda a real sobre a maternidade: “Abro mão de muita coisa para ficar com a minha filha”

A modelo é mãe de primeira viagem de Vicky, de 10 meses, que é fruto dela com o empresário que já tem outros 4 filhos de relacionamentos anteriores

Resumo da Notícia

  • Ana Paula Siebert é mãe de primeira viagem de Vicky, de 10 meses
  • A menina é fruto da relação da modelo com Roberto Justus
  • O empresário, além da caçula, tem outros 4 filhos de relacionamentos anteriores

Ana Paula Siebert é mãe de primeira viagem de Vicky, de 10 meses, que é fruto da relação da modelo com Roberto Justus, que além da caçula tem outros 4 filhos. Ela está indo tão bem com a maternidade que o empresário até brinca que parece que é ela que tem 5 filhos, como se estivessem invertido as posições.

-Publicidade-

“Eu sou muito tranquila. O Roberto brinca que até parece que sou eu que tenho os cinco filhos e não ele. Ele é mais desesperado. Fica preocupado se a Vicky coloca mão suja de areia na boca, tem medo que ela caia e se machuque ou que engasgue”, explica Siebert, que, segundo a Quem, admira o lado de pai coruja de Justus.

“Tenho muita gratidão pelo marido que tenho. Ter outro filho não era uma prioridade dele, mas ele realizou esse meu sonho e hoje vejo o quanto ele se realizou novamente como pai. Eu pensava: ‘Será que ele vai amar tanto a Vicky após tantos filhos?’. Mas ele ama a Vicky com a mesma intensidade que ama os outros quatro. Ele é um pai presente e que ama brincar com ela e dar atenção. Só a parte da fralda e do banho que ele deixa para mim. Meu sonho era ver o Roberto trocando uma fralda de número dois”, conta.

-Publicidade-
Ana Paula Siebert comemora 10 meses da filha (Foto: reprodução / Instagram @robertojustus)

Ana Paula ainda comentou que a amamentação foi difícil nos primeiros meses. “Eu sonhava em ter a Vicky de parto normal, mas não consegui porque ela estava sentada com o cordão enrolado no pescoço. Foi cesárea por segurança. Como não consegui ter o parto do jeito que queria, fiz questão de amamentar, mesmo sentindo muita dor no peito. Foram trinta dias de muita dor, de machucados, feridas… Eu rezava Ave Maria para me dar forças enquanto a amamentava. Eu achava que nunca ia amamentar com prazer, mas fiz laser e depois foram cinco meses de muito amor e prazer em amamentar. É uma conexão muito grande. Se me perguntassem se eu toparia passar por tudo isso novamente, diria que sim. Mas entendo as mães que desistem porque realmente dói muito”, explica.

Após o nascimento de Vicky, a modelo entendeu ainda mais a necessidade de se ter mais sororidade com as mães. Ela sentiu na pele a pressão que as mães sofrem da sociedade para seguirem padrões de criação dos filhos. Mesmo diante de muitos conselhos e algumas críticas de internautas, ela não se intimida em ser sincera ao dividir com seus dois milhões de seguidores do Instagram suas escolhas, como quando decidiu fazer o desmame de Vicky aos seis meses.