Avô de Henry diz que acredita na inocência de Monique e Jairinho

Pai da professora disse que vai aguardar o fim das investigações para comentar mais sobre o caso. Um parente da mãe do garoto contou uma terceira versão sobre o caso

Resumo da Notícia

  • Pai de Monique Medeiros, mãe de Henry, diz que acredita que a filha e Jarinho são inocentes
  • Avô de Henry disse que vai aguardar o fim das investigações para comentar mais sobre o caso
  • Um parente de Monique Medeiros contou uma terceira versão sobre o caso

Pai de Monique Medeiros, mãe de Henry, diz que acredita que a filha e Jairinho são inocentes e que vai aguardar o fim das investigações para dar mais declarações sobre o caso. Em conversa ao Fantástico neste último domingo, 11 de abril, o avó do garoto deu declarações sobre o caso.

-Publicidade-
Caso Henry: Pai de Monique acredita na inocência da filha e de Jairinho (Foto: Reprodução / Vídeo R7)

“Eu acredito que ainda têm dois inocentes, tá? Mas isso ainda pode ser provado e vamos aguardar. Minha filha está presa, tem um monte de irregularidades. Não posso comentar a respeito agora para não atrapalhar a investigação”, disse o pai de Monique.

Ao ser questionado sobre ter medo de prejudicar a filha durante a investigação, Seu Francisco afirmou: “Não tenho medo. Olha, coloca aí bem bonitinho que aqui nós não temos medo de nada”.

Já outro parente da professora, que teve a identidade preservada, disse que está em choque com o caso. “Eu estou chocado na verdade. Foi muito difícil, sabe? Um choque muito forte que eu, até esse momento, não consegui acreditar que ela estava conivente com a situação”, contou.

Outro familiar de Monique conta que ela deu uma declaração diferente sobre o que aconteceu com Henry. “Na manhã da morte do Henry, eu recebi uma ligação de um familiar chorando e contando que o Henry tinha falecido. Eu perguntei o que tinha acontecido, como aconteceu o fato. Esse familiar me relatou que a Monique adormeceu na cama com Henry, ele estava bem, e posteriormente, no meio da madrugada, ela teria sido acordada pelo Jairinho, quando ele chamou a atenção dela, de que o Henry estava com as extremidades geladas e os olhos revirando”, afirma.

Na última quinta-feira, 8 de abril, Monique Medeiros e Dr. Jairinho foram presos por suspeita de homicídio duplamente qualificado, por atrapalhar as investigações e por ameaçar testemunhas para combinar versões dos depoimentos.

Provas contra versão que Henry caiu da cama

Durante a perícia no apartamento do casal, no Rio de Janeiro, os peritos testaram as hipóteses de um possível acidente, o que Monique e Jairinho alegam como defesa. Os policias analisaram o impacto de uma queda medindo a altura da cama, da poltrona e de uma estante. O resultado não comprovou as lesões apresentadas na autópsia de Henry.

Nas figuras representando o menino aparecem escoriações, hematomas, infiltrações hemorrágicas em três partes da cabeça, contusões nos rins, pulmão e laceração no fígado. “Na reprodução simulada foi possível constatar que não há a menor hipótese, não há a menor condição dele ter caído, quer seja da cama, quer seja da poltrona que estava ao lado, de uma estante que tem 1,20m de altura. Eles fizeram todas as medições e viram que em nenhuma dessas circunstâncias ele teria essas lesões que apresentou necropsia”, afirma a perita Denise.