Bebê de 2 anos morre após espera por leito de UTI em Santa Catarina

O hospital onde a criança estava não tinha nenhum leito de UTI disponível. A Secretaria de saúde do estado está investigando a causa da morte

Resumo da Notícia

  • A criança de 2 anos morreu após ter 3 paradas cardiorrespiratórias
  • A Secretaria de Estado de Saúde está investigando a causa da morte
  • Não tinham leitos de UTI disponíveis conde a criança estava

Bebê de dois meses morreu em Santa Catarina após ter três paradas cardiorrespiratórias. A criança estava no Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis.

-Publicidade-

Ela morreu no sábado, 11 de junho. A Secretaria de Saúde do estado está investigando a causa da morte e se o óbito tem alguma relação com a superlotação da unidade e falta de algum leito para o bebê.

Conforme informações do NSC Total, o bebê estava internado na enfermaria da unidade de saúde desde o início de junho com bronquiolite. No sábado pela noite, a criança passou mal e foi levada para UTI, no entanto, a Unidade de Tratamento Intensiva não tinha leitos disponíveis.

A criança então foi levada para emergência 24 horas, porém, faleceu após sofrer quatro paradas cardiorrespiratórias. A ocupação de leitos de UTI’s em Santa Catarina estava em 98% com 10 crianças esperando por vagas na UTI. Já, na região de Florianópolis, a ocupação está em 100%.

A menina foi reanimada e depois, entubada
A criança morreu após ter 4 paradas cardiorrespiratórias (Foto: Getty Images)

Nota da Secretaria de Saúde do Estado:

“A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que investiga as causas da morte de um bebê registrada no Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis. Até o momento, não há qualquer confirmação de que o lamentável fato tenha ocorrido em decorrência da não transferência do paciente para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A situação está sendo averiguada junto à unidade hospitalar para entender a situação clínica do recém-nascido desde a entrada no hospital até o momento do óbito. Assim que os fatos forem devidamente apurados, a SES emitirá nota oficial sobre o caso”.