Boa notícia: carinho aumenta a expectativa de vida

Estudo aponta os benefícios do contato físico com crianças

O pesquisador Michael Marmot, professor da Universidade de Londres, investiga a relação entre a primeira infância e a expectativa de vida da população. Ele concluiu que a parentalidade tem influência significativa no aumento da longevidade.
abraco-g

-Publicidade-

Em um artigo publicado na revista americana Scientific American, Michael indica uma série de evidências que demonstram como os cuidados parentais no começo da vida definem o perfil de saúde das pessoas. Ou seja: quanto mais carinho, melhor! Essas interações amorosas fazem com que a criança se sinta conectada e mais inclinada a fazer intervenções significativas no seu entorno. O mais interessante é que essas ações na primeira infância da criança são indicadores significativos da saúde

Marmot diz que conversar com bebês (mesmo quando eles ainda não aprenderam falar) e oferecer afeto são ações que constroem vínculos afetivos que são responsáveis pela noção de segurança e autoconfiança das crianças, e no futuro essas ações culminam em um maior índice de longevidade. Já ausência parental ou a falta de carinho na infância podem explicar pelo menos um terço dos problemas de linguagem das crianças, assim como eventuais dificuldades socioemocionais. Conclusão: carinho nunca é demais!

-Publicidade-

    -Publicidade-