Circuncisão: o que é, quando é indicada, como é feita e riscos

Feita para tratar casos de fimose, a circuncisão é uma cirurgia que pode ser feita em meninos de qualquer idade e retira o excesso de pele, chamado prepúcio, ao redor do órgão genital masculino

Resumo da Notícia

  • A circuncisão é um procedimento cirúrgico feito para remover o excesso de pele que fica em volta do órgão genital masculino
  • Esse excesso é chamado de fimose e todos os bebês com pênis nascem com isso, chamado de fimose fisiológica
  • Até a primeira infância, cerca de 4 a 11% dos meninos podem sofrer com o processo infamatório de repetição dessa pele e evoluir para a fimose patológica, quadro indicado para ser tratado com a operação

Circuncisão é o nome dado ao procedimento cirúrgico para tratar a fimose, uma condição patológica. A cirurgia é feita através de uma incisão no prepúcio, pele que envolve e protege o órgão genital masculino, o pênis. Essa operação também é chamada de postectomia. No Brasil, a taxa de meninos que precisam realizar a circuncisão é equivalente a 5%, ou seja, de 20 crianças apenas 1 realiza a cirurgia.

-Publicidade-

Logo após o nascimento, praticamente todos os meninos apresentam excesso de prepúcio na região genital. Para 90 a 95% dessas crianças, essa pele retrai espontaneamente ao longo da infância e não é necessário nenhum tipo de operação, mas 4 a 11% delas podem sofrer com um processo inflamatório de repetição nesse local. Esse problema, que depois pode evoluir para uma fimose patológica, é motivo para realizar a circuncisão.

Fimose fisiológica

A fimose fisiológica é o excesso de pele ao redor do pênis com o qual o bebê nasce. Ela tende a retrair naturalmente conforme o desenvolvimento da criança e desaparece até o final da primeira infância ou início da adolescência.

Fimose patológica

A fimose patológica surge a partir do processo de inflamação de repetição. Quando os meninos começam a demonstrar sintomas desse tipo de problema, é indicado o uso de pomadas anti-inflamatórias com corticoide para o tratamento. Após o início do tratamento, o quadro regride espontaneamente.

Cerca de 5% dos meninos até o final da primeira infância apresentam inflamações recorrentes no prepúcio (chamadas de balanopostites) e precisam do tratamento medicamentoso com maior frequência. Toda vez que a lesão regride, surgem cicatrizes que ficam aglutinadas na região. Ou seja, conforme forem surgindo inflamações, vai haver um acúmulo progressivo de cicatrizes e, como a pele do prepúcio é circunferencial, ela tende a estreitar. Isso é chamado de fimose patológica.

A circuncisão é uma cirurgia que retira o excesso de pele que fica ao redor do órgão genital masculino (Foto: Getty Images)

Tratamento X cirurgia de circuncisão

Os cremes com corticoide são usados somente nos casos de balanopostite ou postite, isto é, inflamação com inchaço, vermelhidão e dor. A partir do momento que isso vira um processo inflamatório agudo, com repetições e acúmulo de cicatriz até se transformar em uma fimose patológica, é necessário realizar uma cirurgia de circuncisão.

Especialistas que realizam a circuncisão

  • Urologista: é o médico especialista em sistema urinário masculino e feminino;
  • Cirurgião pediátrico: responsável por operar doenças pulmonares, gastrointestinais, intestino grosso, anus imperfurado e também a fimose. 

Tipos de circuncisão

  • Circuncisão anelar: o cirurgião pediátrico coloca um anel plástico na região do prepúcio, chamado plastibell, que faz com que a pele necrose. Ela cai sozinha dentro de 14 dias, como o umbigo do bebê. Essa operação é feita no centro cirúrgico com sedação leve.
  • Postectomia: realizada por urologistas, essa é a cirurgia clássica. Pode ser feita em meninos de qualquer idade, mas a indicação é que os pais esperem de 1 a 2 anos a partir do nascimento do bebê para que haja amadurecimento dos pulmões e imunológico. Ela é feita no centro cirúrgico com anestesia geral.
A circuncisão pode ser feita através da colocação de um anel plástico ou da protoscopia (Foto: Divulgação / Eduardo Remaile)

Pré-opertatórios e recuperação

Como qualquer cirurgia feita em crianças, é preciso tomar alguns cuidados que precisam ser tomados antes da operação, como jejum e nunca operar o paciente se ele estiver com qualquer infecção respiratória. A recuperação se dá entre duas a quatro semanas após a circuncisão.

Fonte: dr. Eduardo Remaile da Silveira Pinto, urologista, médico assistente doutor da disciplina de urologia da Escola Paulista de Medicina (UNIFESP)