Empatia! Professora doa rim e salva a vida de aluna de 5 anos

Em Missouri, nos Estados Unidos, a educadora Robin Mach, fez a diferença na vida de uma das alunas da pré-escola após fazer uma doação

Resumo da Notícia

  • Uma professora fez a diferença na vida de uma das alunas da pré-escola!
  • Robin Mach, salvou a vida da criança após fazer uma doação do rim para Kayleigh Kulage, de 5 anos
  • Para comemorar a família está planejando as primeiras férias para a praia

Uma professora fez a diferença na vida de uma das alunas da pré-escola! Em Missouri, nos Estados Unidos, a educadora Robin Mach, salvou a vida da criança após fazer uma doação do rim para Kayleigh Kulage, de 5 anos de idade.

-Publicidade-
Professora doa rim para aluna da pré-escola (Foto: Reprodução / GMA)

A menina nasceu de parto prematuro com apenas 26 semanas, por esse motivo, ela precisou ficar por mais de 150 dias após o nascimento na UTI Neonatal. Porém, mesmo após ser liberada do hospital, Kayleigh continuou lidando com sequelas.

De acordo com a mãe, Desiree Kulage, a filha tem cegueira parcial e problemas renais. Por isso, a ela começou a fazer diálise – procedimento usado para tratar os rins. Todas as noites, durante os últimos quatro anos. “Toda a sua vida foi um monte de visitas a hospitais, cirurgias e consultas médicas. Ela conviveu com médicos, enfermeiras e adultos a vida toda”, disse a mãe ao Good Morning America.

-Publicidade-

Mas para a a alegria da família, em outubro do ano passado, a menina atingiu o tamanho necessário para poder ser incluída na lista de transplante de rim. E para a surpresa de todos, a professora Robin, foi uma das primeiras a se oferecer para o teste de compatibilidade.

A relação das duas começou na pré-esc0la e a relação foi tão forte que Mach passou alguns anos ensinando Kayleigh em casa, já que em certo momento a menina não podia ter contato com outras crianças, devido ao sistema imunológico comprometido.

“Um dia, Desiree e eu estávamos conversando. Então, eu perguntei se o rim poderia ser de um adulto. Ela me disse que sim. Imediatamente, me prontifiquei a fazer o teste. Pensei: talvez eu seja pequena o suficiente”, afirmou Mach, que tem 1,50m de altura.

Após muitos testes, a resposta positiva veio em três meses, e em 3 de fevereiro a professora e a aluna foram submetidas a um transplante de rim de seis horas em um hospital em St. Louis. Robin teve alta apenas dois dias após a cirurgia, a menina está em observação, mas já se sente melhor. Para comemorar a família está planejando as primeiras férias para a praia.