Ex-bailarina do Faustão fala sobre rotina do filho superdotado: “Não é melhor do que ninguém”

Rachel Gutvilen comentou os desafios de ser mãe de uma criança com QI acima da média e falou como é a rotina do filho

Resumo da Notícia

  • Ex-bailarina do Faustão comemora inclusão de filho superdotado em sociedade internacional;
  • Rachel Gutvilen comentou os desafios de ser mãe de uma criança com QI acima da média;
  • Ela também falou como é a rotina do filho.

Rachel Gutvilen, bailarina do extinto “Domingão do Faustão” entre 2010 e 2013, hoje celebra a inclusão do pequeno na Mensa Brasil, sociedade de alto QI presente em mais de 100 países — tudo isso antes de completar 7 anos de idade.

-Publicidade-

Ao Splash UOL, ela conta quando começou a perceber que seu filho, Romeu, tinha facilidade com alguns cálculos complicados e conseguia ler textos completos ainda aos 5 anos de idade, ela ainda não imaginava que estava lidando com um superdotado.

“A Mensa não aceitava menores de 13 anos. Mudaram pela minha insistência. Isso abriu portas. Mostrar a carteirinha e garantir uma bolsa integral em uma escola forte é um privilégio”, conta Rachel.

Rachel diz que Romeu tem a rotina de uma criança normal, e apenas armazena informação com um adulto
Rachel diz que Romeu tem a rotina de uma criança normal, e apenas armazena informação com um adulto (Foto: Reprodução/Instagram)

Intrigada com o avanço intelectual do filho, Leninha Espírito Santo Wagner, neuropsicóloga e amiga de Rachel, ajudou com os testes que comprovaram que Romeu é realmente superdotado. Aos 6 anos, ele atingiu o QI (quociente de inteligência) de 138, acima de 99% das pessoas.

“O superdotado quer o desafio, quer coisas mais difíceis, quer sair da caixa. Se os pais e educadores não entendem isso, é provável que essa energia toda se volte para agressividade, transtornos, compulsões”, conta Rachel.

O dia a dia

Romeu foi expulso da escola que estudava até o ano passado após tantas reclamações de Rachel, alegando que o filho se sentia desanimado e desmotivado com os conteúdos que aprendia.

Desde o início da pandemia, Romeu é acompanhado por um professor de matemática e xadrez, Fábio de Castro, que o estimula com atividades mais desafiadoras. Apesar do nível alto de intelecto, a mãe solo dedica seu tempo a proporcionar um futuro brilhante para o filho e os milhares de desafios que ele desejar resolver no futuro.

Romeu recebe aulas de matemática do ensino superior
Romeu recebe aulas de matemática do ensino superior (Foto: Reprodução/Instagram)

“Quero que ele se torne um homem honesto, que possa contribuir com a sociedade com esse QI. Quero que ele seja feliz, bem resolvido, independente. Ele não é melhor que ninguém. Sabe que tem uns parafusinhos a mais, mas é uma criança normal. Ele brinca com crianças mais novas e mais velhas, tem a mesma energia. Tem uma infância como qualquer outra, mas com a capacidade de armazenar informação de um jovem adulto”, frisa.