Família que morreu soterrada tinha ido à Minas Gerais dar assistência para parentes em luto

Eles estavam voltando para casa, após visitar parentes em Minas Gerais

Resumo da Notícia

  • Família morreu soterrada após fortes chuvas em Minas Gerais
  • Eles estavam visitando os familiares que estavam em luto
  • O caso aconteceu na última segunda-feira, 10 de janeiro

Na tarde desta segunda-feira, 10, cinco pessoas de uma mesma família, dentre elas duas crianças de 6 e 3 anos, morreram após terem o carro soterrado pelas fortes chuvas que comprometeram as estradas de Minas Gerais. Eles viviam em Campo Grande, MS.

-Publicidade-

No último sábado, 8 de janeiro, a família estava a caminho do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins. No entanto, foram surpreendidas com uma interdição da BR-040, provocada pelo transbordamento da mina do Pau Branco.

Eles estavam indo visitar parentes em luto, com o objetivo de consolá-los. “Eles vieram passar com a família o fim de ano, na verdade, a Deisy tinha perdido uma irmã, que faleceu praticamente uma semana atrás. Ela veio dar assistência para a família”, afirmou José Geraldo, primo de Deisy Lúcia, uma das vítimas do acidente.

Imagens aéreas mostram o trecho em que o carro da família foi encontrado
Imagens aéreas mostram o trecho em que o carro da família foi encontrado (Foto: Reprodução/G1) 

“Está muito difícil para toda família. Deisy, Henrique e os meninos vieram também para consolar os familiares. Ela era uma pessoa muito querida, professora dedicada”, afirmou Cibele, outra prima do casal.

Os corpos das cinco pessoas foram localizados pelos bombeiros entre segunda e a madrugada desta terça (11) e já foram computados no boletim da Defesa Civil estadual como vítimas das chuvas no estado.

Deisy era professora da Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul (UEMS). Em forma de homenagem pelo ocorrido, a instituição publicou uma nota de pesar pelo ocorrido.

“É com pesar que a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) comunica o falecimento da Profª Drª Deisy Lúcia Cardoso Alexandrino Santos, de 40 anos, que atuou por seis anos da Unidade de Aquidauana da UEMS. Ela e sua família foram vítimas de um trágico acidente no sábado (08/01) em Brumadinho, Minas Gerais, em que o carro em que estavam foi soterrado após um deslizamento da encosta da Serra da Moeda. Além dela faleceram também o marido Henrique Alexandrino dos Santos, de 41 anos, e os filhos, Vitor e Ana, de 6 e 3 anos, respectivamente. Também morreu Geovane Vieira Ferreira, 42 anos, um familiar que estava conduzindo o carro”.

“A professora Deisy deixa seu legado na UEMS, embora tenha atuado por apenas quase seis anos, demonstrou ser uma profissional de altíssimo nível, e uma pessoa capaz de colaborar com o crescimento coletivo. A família que conhecemos do curso de Agronomia de Aquidauana lamenta estas perdas, e eleva aos familiares e amigos nosso profundo pesar”, homenageia o curso em que ela era docente.

“A gerência da Unidade de Aquidauana também registra que todos se encontram consternados com a triste notícia desta tragédia terrível com a nossa professora Deisy e familiares. “A professora Deisy, apesar de sua história ser recente na UEMS, deixa um enorme legado marcado pela sua capacidade técnica e compromisso no exercício das suas atividades. O momento é de profunda tristeza para todos nós”, afirmou o professor Elói Panachuki, gerente da UEMS”.