Homem indiciado por estuprar menina que denunciou abuso em desenho pode ser pai da criança

O suspeito é apontado como pai da vítima

Resumo da Notícia

  • Indicado de estuprar menina é suspeito de também estuprar a mãe da criança
  • Garota apontou estupro após assistir palestras de conscientização e educação sexual
  • O suspeito foi preso no dia 6 de junho

Homem indicado de estuprar menina é suspeito de também estuprar a mãe da criança, e pode ser o pai da menina. Segundo o G1, o homem de 45 anos foi indicado de estuprar garota que, depois de assistir palestras de conscientização e educação sexual e fez um desenho, indicando estupro, que foi entregue a professora.

-Publicidade-

O caso aconteceu em Itumbiara, na região sul de Goiás, e o suspeito, que está sendo investigado pela polícia e foi preso no dia 6 de junho, não teve a identidade divulgada.

O homem foi preso nesta quarta-feira, 18 de maio
O caso está sendo investigado (Foto: Reprodução / Getty Images)

A Polícia Civil afirma que o inquérito de investigação, que analisa os abusos à criança, foi enviado a na terça-feira, 14 de junho, ao Poder Judiciário.

O homem está sendo indicado por estupro de vulnerável, que torna-se ainda mais grave devido ao parentesco com a criança, e lesão corporal, já que, segundo relatos da família, ele agrediu a menina por ter contato sobre o estupro.

Entenda o caso

Após uma criança entregar um desenho para professora, foi descoberto um abuso sexual e o suspeito pela ação foi preso. O caso aconteceu no sul goiano, em Itubiara. A garota desenhou o abusador saindo do quarto da mulher e indo até o dela.

Conforme informações da polícia civil, a situação aconteceu durante uma ação sobre “combate ao abuso infantil”. O homem de 45 anos teve a prisão preventiva e ele foi preso nesta segunda-feira, 6 de junho.

Na ação, foram feitas várias palestras e conversas sobre atividades de conscientização na escola sobre o tema. Segundo a polícia, no dia a professora pediu pras crianças desenharem o que era “abuso” para elas. No momento, uma das alunas entregou um desenho em que chamou atenção da professora.

O entendido foi que a menina poderia ter sofrido abuso sexual. A polícia não divulgou nem o nome e nem a idade da menina, para preservar ela. O caso está sendo investigado como estupro de vulnerável.

Segundo o delegado, alguns exames foram feitos na menina mas não confirmaram conjunção carnal, no entanto, não elimina a prática do crime.