Família

Hospitaleiro

Os pais cuidam muito da saúde dos filhos, mas surpresas podem acontecer. Se tiver que ir para um hospital, que seja um hospitaleiro

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Quando acontece uma emergência, você: a) Vai para o hospital mais próximo; b) Vai para o hospital mais renomado; c) O hospital mais perto é também o mais renomado.

Se respondeu “c”, sorte a sua! Mas se o hospital mais bacana fica longe, o melhor mesmo é escolher a alternativa “a” e… correr. Lembre-se: emergência é emergência. Quanto antes for feito o atendimento, melhor. “Existem pais que atravessam a cidade no momento de levar o filho ao hospital. Isso é um erro. O mais indicado é levar a criança ao local mais próximo, para que seja medicada e diagnosticada logo. E a dor ou o incômodo sejam aliviados”, diz Sérgio Sarrubo, filho de Antônio e Iracema, chefe do Departamento de Emergência da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Levar o filho a um hospital muito distante de casa, além de estressar a família, pode até colocar a vida da criança em risco, dependendo da situação.

 Hora de ir

A gente sempre quer acertar, claro, mas correr para o hospital sempre que o filho sente um pequeno desconforto não é a melhor forma de cuidar da saúde dele. “É muito comum as pessoas irem ao hospital tratar de sintomas que poderiam ser curados pelo próprio organismo. Muitos casos poderiam ser curados até com o chazinho da vovó”, diz Sarrubo.

Ir ao pronto-socorro quando se está com um problema de saúde importante, ok! Mas ir desnecessariamente contribui para a lotação dos hospitais, faz com que a espera seja longa… E contribui para que cada paciente  receba menos atenção. Se o desconforto da criança não for um caso agudo, ou seja, não precisa ser atendido imediatamente, o melhor é ir observando como o quadro evolui ou marcar uma consulta de rotina. “É preciso ponderar o que é grave e ver se a criança apresenta febre alta, falta de ar, vômito intenso ou outros sintomas fora do comum.”

Você não tem a obrigação de saber qual é o momento adequado de levar a criança ao hospital, claro. Por isso, vale também ter o celular do pediatra: uma ligação, um SMS ou até um Whatsapp (com direito a foto do machucado) podem evitar idas desnecessárias ao pronto-socorro.

 E lembre que hospitais infantis têm atendimento e estruturas adequadas para crianças, que, às vezes, a gente nem percebe, mas fazem toda a diferença. Além da decoração e de cantinhos aconchegantes para elas, há equipamentos de exames específicos para os pequenos, tratamento humanizado, equipe treinada… Nosso guia vai te ajudar a avaliar o que um bom hospital infantil tem que ter. São informações para você ter, verificar e buscar nos hospitais  que for usar na hora da emergência.

Belo Horizonte

Mater Dei (materdei.com.br)

Este hospital presta atendimento médico integral à família – desde a gestante, passando pelos recémnascidos, pelas crianças, adolescentes e adultos. Mas, mesmo sendo um hospital geral, a instituição se preocupa bastante com o atendimento pediátrico.  O Mater Dei fundou a primeira Unidade Intensiva Pediátrica de Belo Horizonte, tendo como especialidade o atendimento ao recém-nascido de alto risco. Periodicamente os diretores visitam os pacientes internados para acompanhar os procedimentos e cuidados prestados. Sua cobertura de atendimento engloba saúde suplementar e atendimento particular.Rua Gonçalves Dias, 2700, Santo Agostinho, Tel.: (31) 3339-9000

Curitiba – PR

Pequeno Príncipe (pequenoprincipe.org.br/hospital)

Hospital infantil com mais de 30 especialidades, entre elas alergia, imunologia, cardiologia, dermatologia, infectologia e pneumologia. Realiza cirurgias cardíacas, neurológicas, ortopédicas, além de transplantes e tratamentos oncológicos, para pacientes de até 18 anos.Em 2000, o Pequeno Príncipe foi o primeiro hospital do Paraná a ser acreditado pelo Instituto Paranaense de Serviços de Saúde IPASS), atual Instituto de Planejamento e Pesquisa para Acreditação em Serviços de Saúde. Oferece atendimentos a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) – que representa cerca de 70% dos procedimentos –, de planos de saúde e atendimentos particulares.Rua Desembargador Motta, 1070, Água Verde, Tel.: (41) 3310-1010

Salvador – BA

  Hospital Aliança – hospitalalianca.com.br

Para oferecer um atendimento direcionado ao público infantil, o Hospital Aliança montou o Centro Aliança de Pediatria, que presta atendimento de urgência e emergência, internação, tratamento intensivo e semi-intensivo (UTI Pediátrica).O corpo clínico pediátrico tem profissionais com especialidades como gastroenterologistas, neurologistas, cirurgiões infantis, nutricionistas, psicólogos e ortopedistas.Um dos diferenciais do hospital é a humanização, com decoração lúdica e pinturas de pontos turísticos da Bahia, ilustrações de animais e calçadas coloridas. As equipes de nutrição elaboram cardápios adequados à dieta das crianças. Na data do aniversário, os pequenos pacientes internados ganham um bolo da equipe do hospital. A instituição oferece atendimento à rede particular e convênios.Av. Juracy Magalháes Jr, 2096,Rio Vermelho, Tel.: (71) 2108-5600

Porto Alegre – RS

Hospital da Criança Santo Antônio santacasa.org.br/santoantonio

Os ambientes são climatizados, com sala de recreação, área de lazer e salas de descanso em todos os andares. Oferece os serviços de Banco de Leite Materno e Centro de Enurese e Distúrbios Miccionais,