Jovem ganha bolsa de estudos na Califórnia, após USP ter negado matrícula dela

Uma menina de 17 anos passou em engenharia civil na USP, com a 5ª melhor nota entre os colocados no ENEM, mas Justiça não deixou ela se matricular

Resumo da Notícia

  • Uma menina de 17 anos passou na Universidade de São Paulo, mas teve sua matrícula negada
  • A empresa StartSe deu uma bolsa para que ela pudesse estudar lá
  • Elisa completou seus estudos em sistema de homeschooling

Elisa Flemer, 17 anos, passou no curso de Engenheira Civil da USP (Universidade de São Paulo), com a 5ª melhor nota entre os candidatos ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), mas teve sua matrícula negada pela Justiça.

-Publicidade-

Eles a impediram de realizar a matrícula na instituição, por ela não ter o diploma do ensino médio. Ao saber da história de Elisa e de sua dedicação, a empresa StartSe deu à ela uma semana de imersão no Vale do Silício, em São Francisco, nos Estados Unidos. O lugar é conhecido por ser o “lar” de algumas das maiores empresas de tecnologia, como a Apple e o Google.

Junior Bornelli é CEO da empresa e garante que, durante a imersão, ela vai ganhar uma bolsa que permite cobrir todos os gastos lá: “Nós, da StartSe, acreditamos que não são os diplomas que definem nossas habilidades, mas sim o conhecimento que se adquire. Por isso, decidimos acompanhar a Elisa no seu desenvolvimento.”

11º Seminário Internacional Pais&Filhos – A Sua Realidade

Está chegando! O 11º Seminário Internacional Pais&Filhos vai acontecer no dia 1 de junho, com oito horas seguidas de live, em formato completamente online e grátis. E tem mais: você pode participar dos sorteios e ganhar prêmios incríveis. Para se inscrever para os sorteios, ver a programação completa e assistir ao Seminário no dia, clique aqui!

 

Além da imersão, ela também ganhou um convite para um estágio e uma bolsa para um curso remoto de administração de negócios, ambos na StartSe. Diagnosticada com autismo leve, o transtorno permite que Elisa seja mais focada e concentrada nos assuntos acadêmicos.

Elisa era adapta ao homeschoolig, essa é uma modalidade de ensino, para as pessoas que querem estudar em casa, sem qualquer tipo de vínculo com a escola. Elisa contou que decidiu pelo método após perceber que estava aprendendo as matérias mais rápido que os seus colegas, em uma entrevista que deu ao R7. 

A jovem, que mora em Sorocaba no interior de São Paulo, conseguiu montar sua grade de estudos, adaptá-las ao seu ritmo e entender quais eram suas necessidades, ao estudar em casa. O caso dela mostra que, em algumas situações, o homeschooling é uma ótima forma de lecionar.