Jovem que estudou com livros que mãe achou no lixo é aprovada em medicina

Demais, né? Débora Sousa mora na cidade de São Gabriel da Palha, no Espírito Santo, e foi aprovada em universidades da Bahia e do Rio Grande do Sul

Resumo da Notícia

  • Jovem que estudou com livros que mãe achou no lixo é aprovada em medicina
  • Demais, né? Débora Sousa mora na cidade de São Gabriel da Palha, no Espírito Santo, e foi aprovada em universidades da Bahia e do Rio Grande do Sul
  • Vem conhecer essa história!

Débora Sousa se tornou o orgulho da família ao passar em medicina com livros que a mãe encontrava no lixo. A jovem mora na cidade de São Gabriel da Palha, no Espírito Santo, e passou em universidades na Bahia e no Espírito Santo. A mãe, Maria Miracena, ficava atenta durante as horas em que trabalhava como catadora.

-Publicidade-

“Meu coração está pulando de alegria. Saltando para fora. Eu estou muito emocionada”, disse Maria, para a Gazeta. “Vou ser a primeira paciente dela porque eu sou fã dela. Eu não tive essa oportunidade, e por isso que eu quis que ela tivesse essa oportunidade. Fiz de tudo e lutei para ela conseguir”.

A mãe de Débora é catadora
A mãe de Débora é catadora (Foto: Reprodução/ Gazeta)

Débora era estudante da rede pública, e tentou conciliar os estudos do Ensino Médio com a preparação para o Enem durante a pandemia da covid-19. Contudo, não conseguiu passar. Os pais de Débora chegaram a tirar dinheiro destinado para alimentação e compras para colocar crédito no celular que a vestibulanda usava para acompanhar aulas à distância durante a pandemia da covid-19.

“Tinha que conciliar os estudos do Enem com meu estudo na escola. E eu não consegui passar no primeiro ano. Depois que não passei na primeira vez, e no segundo ano eu comecei a trabalhar de meio período e fui estudar na parte da tarde. E aí estudava logo após chegar do trabalho até mais ou menos 23h”, relembra ainda Débora, também para a Gazeta.

Débora será a primeira médica da família
Débora será a primeira médica da família (Foto: Reprodução/ Gazeta)

A escola em que Débora estudou soube dos resultados, e está mobilizando uma vaquinha para mandá-la para uma universidade na Bahia – mais próxima de seu estado Natal. “A escola se mobilizou para ajudar a gente a fazer uma vaquinha. Tanto para a ida, porque eu preciso ir duas vezes para lá, tanto para ficar de vez, no modelo presencial de ensino. Apesar de lá ter auxílio de permanência estudantil, não é rápido, e eu tenho que estar lá estudando para isso. E eu preciso ter um dinheiro inicial para estar lá”, contou a futura médica.

E ainda completa, “Quero fazer cirurgia cardiovascular. Desde que vi uma cirurgia no coração, me apaixonei de verdade. Quero seguir isso para sempre. É um plano de vida”. Que exemplo de vida! Parabéns, Débora!