Mãe faz desabafo sobre filho ser alérgico ao frio: “Ninguém acredita”

Os pais de um adolescente que é severamente alérgico ao frio estão ‘aterrorizados’ de que ele possa morrer a caminho da escola e não têm escolha a não ser manter o aquecedor ligado o tempo todo

Resumo da Notícia

  • Uma mãe está desesperada por causa de uma alergia do filho
  • O menino de 14 anos tem alergia ao frio e por isso não pode ficar exposto
  • Os pais disseram que é uma luta fazer as pessoas acreditarem que o filho é alérgico ao frio

Uma mãe compartilhou como seu filho adolescente é tão alérgico ao frio que eles não têm escolha a não ser ligar o aquecimento o dia todo para mantê-lo seguro e levá-lo para a escola em vez de arriscar deixá-lo andar. Calum Courtney, 14, tem uma condição conhecida como urticária ao frio, o que significa que ele não pode ficar ao ar livre por mais de 15 minutos sem ficar com coceira e erupções cutâneas vermelhas.

-Publicidade-

Sua alergia é tão grave que ele tem urticária se a temperatura cair abaixo de 24 graus ou se um de seus membros ficar fora das cobertas à noite. Seus pais, Tupney Courtney e David Courtney, ambos de 38 anos, estão preocupados que a alergia de Calum possa resultar em um choque anafilático, então eles o levam até os portões da escola todas as manhãs, certificando-se de que ele sempre use um agasalho.

De acordo com Tupney, um choque anafilático, pelo qual a pressão sanguínea de uma pessoa cai repentinamente e suas vias aéreas se estreitam, impedindo a respiração, pode ser mortal para Calum. Como resultado de sua condição, Calum infelizmente teve que perder atividades como patinação no gelo, natação e até teve que desistir de jogar futebol depois que ele foi diagnosticado pela primeira vez há dez anos.

O menino é alérgico ao frio
O menino é alérgico ao frio (Foto: Reprodução/The Mirror)

Tupney, de Basildon, no Reino Unido, disse ao jornal The Mirror: “Quando adolescente, isso afeta tudo, ele não pode jogar ou praticar esportes. Ele teve que parar de jogar futebol porque seu rosto inteiro incha. Ele não pode ficar fora por muito tempo se estiver frio. Ele sai e tem que continuar voltando. Ele sempre fica muito quente porque temos que embrulhar sua pele.

“Ele costumava ficar muito chateado porque queria muito jogar futebol. Quando jovem, jogar futebol coloca você no grupo de crianças com quem todo mundo quer conversar. No começo, eram as partes do corpo que não estavam vestidas como o rosto e as mãos. Se ele está fora por tempo suficiente, está em todos os lugares, mesmo com três camadas de roupas. Começa como pontinhos vermelhos, parece varicela, então eles ficam maiores e se juntam. Eles são tão desconfortáveis, como urtigas, então fica muito comichão”.

A mãe de dois filhos continuou: “Se ele está na água muito fria, ele fica vermelho brilhante e diz que parece que está queimando. Essa é uma sensação diferente e ele fica mal como se fosse desmaiar. Acho que são os estágios iniciais do choque anafilático. Você tem que realmente aquecê-lo e tentar aquecê-lo por dentro com bebidas quentes. Você tem que pensar em tudo. Se ele se machucar, ele não pode tomar compressa fria. Ele bateu a mão na escola e disseram que ele precisava ir para o hospital porque a mão dele tinha dobrado de tamanho, mas quando cheguei lá , ele tinha uma compressa fria sobre ele, então assim que eu aqueci e ela desinchou”.

Os pais não sabem o que fazer para melhorar a alergia do filho
Os pais não sabem o que fazer para melhorar a alergia do filho (Foto: Reprodução/The Mirror)

“Você não sabe que reação ele poderia ter, ele poderia ter um choque anafilático, não está além das possibilidades, mesmo que ele não tenha, pode acontecer a qualquer momento”. Calum foi diagnosticado pela primeira vez com apenas quatro anos de idade, depois que ele começou a ter urticária durante um casamento de família. Seus pais assustados inicialmente acreditaram que ele tinha alergia ao pólen e o trataram com anti-histamínicos, mas logo perceberam que algo mais estava acontecendo.

Tupney admitiu: “É um pesadelo quando se trata de ele fazer qualquer coisa. Se ele disser às pessoas, é uma batalha constante tentar provar que isso é verdade. A primeira reação das pessoas é ‘oh sim, eu também sou alérgico ao frio’. Eles acham que ele está dizendo que não gosta de frio. É tão frustrante que ninguém acredita nele. Ele faz as pessoas se questionarem sobre o que é isso em seu rosto. A maioria dos outros países têm tratamento para isso. Aqui não é a mesma coisa, é irritante. É impossível conseguir algo para ajudar”.

Ela continuou: “Quero encontrar um médico especializado em UC que não consigo encontrar. Encontramos médicos de alergia e dermatologistas, mas ninguém especializado nessa alergia específica. Quero o máximo de informações possível, mas ninguém pode dar isso para você. É muito difícil. Precisamos de ajuda. São dez anos de luta, eu gostaria que pudéssemos conseguir um anti-histamínico adequado para que ele pudesse jogar sem parecer que está com uma doença. Os médicos sugerem uma mudança de estilo de vida para evitar o frio, ok não vamos viver, vamos ficar dentro de casa, sem fazer nada ou ir a lugar nenhum. Você não pode mudar de vida e ir para o exterior”.