Mais uma mulher se apresenta como vítima do anestesista preso por estupro

O médico foi preso em flagrante nesta segunda-feira, 11 de julho, após vídeo de estupro em grávida durante parto

Resumo da Notícia

  • Uma segunda mulher prestou testemunha contra o anestesista Giovanni Quintella Bezerra
  • O médico estuprou uma mulher grávida enquanto ela estava desacordada durante cesárea
  • Ele foi preso após vídeo gravado por enfermeiras do hospital em que ele trabalha
 

Uma segunda mulher prestou testemunha contra o anestesista Giovanni Quintella Bezerra na Delegacia de Atendimento à Mulher em São João Meriti após ele ser preso em flagrante nesta segunda-feira, 11 de julho. O médico estuprou uma mulher grávida enquanto ela estava desacordada durante a cesárea.

-Publicidade-

Os familiares dessa mulher afirmaram aos policiais que ela também foi vítima de estupro de Giovanni. A jovem de 23 anos teria sido estuprada durante cesárea no mesmo hospital no dia 6 de julho. A mãe da vítima explicou que a jovem estava completamente dopada após o procedimento, tendo acordado apenas na noite do dia seguinte. Ela também conta que a filha estava com uma mancha branca no pescoço quando acordou, mas, na época, a família achou que teria sido um procedimento do hospital. Entretanto, após o caso da prisão do anestesista vir à tona, a família ligou os fatos.

Anestesista é preso por estuprar pacientes
Anestesista é preso por estuprar paciente em parto cesárea (Foto: Reprodução / G1)

A segunda vítima falou aos jornalistas sobre sua indignação: “Na hora do parto ele tentou me tranquilizar e eu falei que estava com muito sono, mas ele me falou que era normal. Naquele momento de fragilidade nós pensamos que estamos protegidas”. A família já estava passando por um momento difícil, já que a mulher estava grávida de gêmeos, que nasceram prematuros, e um deles acabou falecendo, sendo enterrado no último domingo, dia 10. Após o parto da jovem, o médico passou na sala em que a mãe estava e agiu normalmente. O marido da paciente teria sido proibido de estar na sala de cirurgia durante o nascimento dos filhos.

A delegada responsável pelo caso, Bárbara Lomba, afirmou que haverá investigação e que é necessário “puxar o prontuário, ver por que [houve] a sedação, verificar qual era a equipe presente e quais procedimentos ele [o anestesista] adotou”.

O exercício médico do anestesista pode ser suspenso após estuprar grávida durante parto. (Foto: Reprodução / Instagram)

O anestesista, que foi preso em flagrante, já está sendo indicado por estupro de vulnerável, crime que tem pena de 8 a 15 anos. Ele foi preso após vídeo gravado por enfermeiras do hospital em que ele trabalha, que provam o crime cometido por ele.