Marcella Fogaça faz reflexão sobre futuro das filhas: “Responsabilidade que às vezes me tira o ar”

Mãe de Pietra e Sophia, Marcella Fogaça sempre usa suas redes sociais para compartilhar reflexões sobre a maternidade e mostrar o dia a dia ao lado das gêmeas

Resumo da Notícia

  • Marcella Fogaça compartilhou um texto falando sobre expectativas e projeções no futuro das filhas
  • Ela é mãe de Sophia e Pietra
  • A cantora sempre faz reflexões sobre maternidade em suas redes sociais

Marcella Fogaça sempre usa suas redes sociais para compartilhar a rotina ao lado das filhas gêmeas, Pietra e Sophia, e trazer reflexões sobre a maternidade. No último sábado, 15 de janeiro, ela publicou uma foto para falar sobre expectativas.

-Publicidade-

Na imagem, ela aparece com uma das bebês no colo enquanto toca teclado. Na legenda, ela abriu o coração. “Mesmo tentando não criar expectativas, sempre me pego imaginando que tipo de pessoas minhas filhas vão ser”.

“É muito louco ver essas nenéns já cheias de personalidade, mas ao mesmo tempo tão “páginas em branco”. A vida toda pela frente e eu não ignoro nem por um segundo meu papel na formação de seus caminhos. É uma responsabilidade que às vezes me tira o ar, mas na maioria das vezes me empolga”.

Marcella Fogaça fala sobre criar expectativas para o futuro das filhas
Marcella Fogaça fala sobre criar expectativas para o futuro das filhas (Foto: Reprodução Instagram @marcellafogaca)

“Me empolga a olhar pra mim, com um olhar atento de quem está tendo a chance de refazer e corrigir uma prova a muito tempo entregue. Desde que me vi mãe, minha infância vem vindo forte na minha cabeça. Momentos definitivos que jamais tinha lembrado até então. Meus pais, ensinamentos, traumas, tudo me impulsionando a fazer diferente, o que eu puder fazer melhor. Entendam, meus pais são pessoas especialmente maravilhosas”.

“Mas é claro que tentando acertar muitas vezes erraram. Eles deram seu melhor, o que receberam e um pouco mais além. E eu os amo sem cobranças. Acho que hj em dia temos a oportunidade de estudar sobre assuntos que antes estavam guardados pra psicopedagogos e livros em bibliotecas”.

“Acesso à ferramentas pra uma educação mais acolhedora, mais inteligente, menos punitiva. É muito desafiador querer uma criação assim pros nossos filhos pq teremos que nos superar milhões de vezes. É automático repetir o que nos foi passado. E muitas vezes nossas crias são espelhos de nós, nos mostrando comportamentos que precisam ser mudados”.

“A palavra Paciência nos trás a ideia de paz, mas ela geralmente tem que ser usada nos momentos de “guerra”. Em momentos de ebulição, cansaço, sobrecarga. É acolher quando na verdade seria mais fácil brigar. É querer punir, mas ao invés, ajudar”.

“Minhas filhas são minha missão, não de torná-las as melhores pessoas que puderem ser, pq isso caberá a elas, mas de me tornar o melhor que eu puder ser, pra dar a elas toda a base pra que possam se sentir capazes e seguras emocionalmente de simplesmente SEREM elas mesmas. Provavelmente tbm errarei mto tentando acertar, mas tudo bem. Elas farão melhor do que eu e assim por diante. Pra mim é aí que mora o futuro melhor”.