Menina de 4 anos infectada com H1N2 e porcos são monitorados após caso de contaminação

O caso, terceiro de infecção pelo vírus no Brasil, aconteceu na zona rural de Rebouças e deixou especialistas em alertas. O vírus tem potencial para virar uma pandemia

Resumo da Notícia

  • A menina de 4 anos infectada por H1N2, assim como os porcos e a família, estão sendo monitorados
  • O caso foi reportado pelo Ministério da Saúde para a OMS
  • Pesquisadores estão investigando mais possíveis casos de contaminação

No último sábado, 19 de dezembro, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) detectou no Paraná um segundo caso de H1N2, subtipo inusitado do vírus Influenza A, causador da gripe. Em meio à pandemia do coronavírus, a família da menina de 4 anos que contraiu o vírus, moradora de uma área rural de Rebouças, no centro-sul do estado, assim como as criações de porcos da cidade, estão sendo monitorados.

-Publicidade-

Como o H1N2 é uma doença com potencial pandêmico, assim que o caso de infecção da criança foi detectado, foi necessário que o Ministério da Saúde emitiesse um alerta para a Organização Mundial da Saúde comunicando a transmissão do vírus de suínos para humanos.

-Publicidade-

“Em meio à pandemia da Covid-19, qualquer novo vírus com potencial epidêmico identificado merece toda a atenção e imediata implementação de medidas de prevenção e controle”, afirma o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, à Agência Estadual de Notícias.

A menina de 4 anos, contaminada pela H1N2, já está recuperada e passa bem. Apesar disso, o pai – que trabalha com criação de suínos – e outras pessoas que tiveram contato com ela ainda estão sendo monitoradas pela Secretaria Municipal de Saúde de Rebouças. Ao todo, 16 pessoas estiveram com a menina ou próximas à ela durante o período em que ela estava infectada. As informações são da Gazeta do Povo.

A Secretaria de Saúde está investigando a possibilidade de outros casos de contaminação com o H1N2 entre produtores de suínos da região, o que inclui a cidade Irati, vizinha de Rebouças, mesmo que não haja relatos de transmissão do vírus entre pessoas, apenas de porcos para humanos. Essa investigação está sendo feita por equipes da Vigilância Sanitária e Epidemiológica do município.