Mulher descobre pedaço de pano esquecido dentro do corpo 6 meses após cesárea

O caso aconteceu em Ribeirão Preto, cidade do interior de São Paulo. Seis meses após o nascimento da filha, uma mulher descobriu que haviam esquecido durante a cirurgia um pano dentro dela

Resumo da Notícia

  • Uma mulher descobriu um pano dentro do corpo dela meses após dar à luz
  • O caso aconteceu em Ribeirão Preto e está sendo investigado
  • O marido da mulher contou à Universa como ela descobriu

Seis meses após passar por uma cesariana, uma mulher descobriu que estava com um pedaço de pano dentro do ânus que foi deixado lá durante a cirurgia. O caso aconteceu em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, e está sendo investigado.

-Publicidade-

De acordo com o marido da mulher, em entrevista à Universa, ela sentiu dores na sexta-feira, 11 de março, e foi até o local onde realizou o parto – o Centro de Referência da Saúde da Mulher, também chamado de Mater. De lá, após alguns exames, foi encaminhada para o Hospital das Clínicas na Unidade de Emergência (HC-UE).

A mulher não precisou ser operada no hospital porque os médicos conseguiram retirar um pedaço do pano que estava dentro do corpo dela. Em entrevista ao portal, o marido dela contou que ela começou a apresentar sintomas de que algo estava errado dois meses após o nascimento da quinta filha do casal.

Mulher encontra pedaço de pano esquecido dentro do corpo 6 meses após cesárea
Mulher encontra pedaço de pano esquecido dentro do corpo 6 meses após cesárea (Foto: Reprodução Universa)

“Mais pra frente, um pouquinho de novo, ela teve febre, umas três vezes; aí também tomava remédio e não sentia dor nenhuma. Ela também começou a perder peso demais, mas até então ela só sentiu dor no final do quinto mês, até o dia 11. Aí ela foi no banheiro e ela percebeu que esse pedaço do pano saiu e o restante ficou dentro dela”, contou.

“Eles [os médicos] conseguiram cortar mais um pedaço, só que um pedaço ficou dentro dela, que ficou envolvido no intestino. Agora ela vai ser acompanhada pra ver a evolução desse restante que tá dentro dela, se o próprio organismo vai soltar ou se eles vão precisar tirar”, explicou.