Padre Fábio de Melo relembra perda da mãe por covid-19: “Tinha convicção que não resistiria”

O religioso foi até o programa Encontro e falou um pouco sobre o assunto com a apresentadora Fátima Bernardes

Resumo da Notícia

  • Padre Fábio de Melo relembra perda da mãe por covid-19
  • O religioso foi até o programa Encontro e falou um pouco sobre o assunto com a apresentadora Fátima Bernardes
  • Dona Maria não resistiu às complicações da doença em março deste ano

O padre Fábio de Melo participou recentemente do programa Encontro, da TV Globo. Em uma conversa com a apresentadora Fátima Bernardes, o padre falou um pouco sobre a perda da mãe, Dona Ana Maria, que não resistiu às complicações da covid-19 em março deste ano. “Tinha convicção de que se a minha mãe pegasse o vírus ela não resistiria…”, desabafou ele, no programa.

-Publicidade-
Padre Fábio de Melo relembra perda da mãe por covid-19 (Foto: Reprodução / Tv Globo)

Padre Fábio também comentou na atração sobre o seu novo livro, o romance “A Hora da Essência”, que propõe uma reflexão para os fãs e leitores das obras dele. “Nós nos perdemos com facilidade, nos tornamos outros diante da expectativa das pessoas. Para sermos aceitos, nós nos adaptamos, mas ninguém é feliz longe de sua essência. O caminho interior é difícil de ser trilhado, mas é possível e pode ser encontrado por meio de meditação, religião e amizades”, observou o religioso.

Depois que perdeu a mãe, Fábio de Melo também já desabafou sobre a situação durante o programa Domingão do Faustão. Ao programa, ele disse que nasceu ao som da música ‘Jesus Cristo’, de Roberto Carlos e cantou um trecho para homenagear a mãe, Dona Ana Maria Melo, que faleceu recentemente vítima da Covid-19.

O Padre fez um desabafo sobre a perda da mãe. “Pra mim é uma grande emoção cantar isso aqui hoje e poder fazer memória a essa mulher, que é a grande mulher da minha vida. Perdê-la na pandemia foi muito difícil porque eu me uni a dor de milhares e milhares de pessoas que estão precisando sepultar as pessoas que amam sem um rito de despedida”, disse.

Ele ainda disse que ficou muito triste por não poder se despedir da mãe. “Foi a maior dor do mundo olhar aquele caixão lacrado e saber que ali estava o corpo que foi meu corpo, a mulher que me ensinou a falar, que me ensinou a viver, sentir, ser quem eu sou e não poder dizer adeus. E não poder dizer ‘Mãe, foi muito bom ser seu filho’. Falei alguns dias antes de ela ser entubada, mas é muito difícil”, desabafou.

O padre também agradeceu a oportunidade de estar no palco podendo prestar esta homenagem à Dona Ana. “Hoje eu tenho certeza, que se minha mãe estivesse viva, um dos últimos vídeos que tenho dela era assistindo o seu programa, cantando Bruno e Marrone. Ela não perdia um programa seu [Faustão]. E nós já estávamos combinados de virmos aqui e foi muito especial”, disse.

Por fim, Padre Fabio de Melo fez uma declaração sobre manter a esperança durante esse momento tão difícil. “Quero agradecer a você a oportunidade de cantar isso, de cantar essa mensagem de amor, de ressureição para tantas pessoas que nesse Brasil hoje carece de ressuscitar as esperanças, os sonhos, aquilo que há de mais bonito entre nós”, finalizou.