Prefeita desiste de salário para doar dinheiro às famílias carentes

Dra. Auxiliadora é a gestora municipal da cidade de Barreiras, no Ceará, e informou que 100 grupos serão beneficiados com o valor de R$ 100 para a compra de alimentos

Resumo da Notícia

  • A prefeita de Barreira, no Ceará vai doar o salário para famílias carentes
  • Ela divulgou a informação em uma coletiva
  • Cem famílias foram escolhidas para receber o benefício

A prefeita do município de Barreira, no Ceará, anunciou que vai trocar o salário de R$ 10 mil como prefeita para continuar recebendo como professora, já que é concursada e teve que escolher qual dos dois pagamentos receberia. O nome dela é Dra. Auxiliadora e ela afirmou que vai doar todo esse dinheiro para família carentes.

-Publicidade-
Dra. Auxiliadora vai doar todo o salário como prefeita para famílias carentes
Dra. Auxiliadora vai doar todo o salário como prefeita para famílias carentes (Foto: Reprodução / Instagram)

O valor vai ser dado a um programa de transferência de renda, chamado Barreira Sem Fome, que ajuda a população mais necessitada da cidade. A legislação que criou o programa Barreira sem Fome foi aprovada pela Câmara Municipal em agosto. O programa agora vai atender 100 famílias que receberam 100 reais por mês para se alimentar.

Esse benefício vai durar até dezembro de 2024, quando a prefeita sair do cargo. O dinheiro vai ser distribuído em cartões de vale-compras para as famílias, que poderão gastar em compra de alimentos em estabelecimentos cadastrados pela Prefeitura. As famílias selecionadas estão ainda na fase de documentação e a previsão é de que recebam o cartão até o final deste mês, junto com a primeira parcela.

Caso a família já tiver condição de se sustentar, o programa vai para outra família carente. “Essas famílias serão acompanhadas mensalmente e o objetivo é que, em seis meses, já tenham condição de se sustentar. Aí, novas famílias são beneficiadas”, disse a prefeita ao Diário do Nordeste. “Não é só doar o alimento. O objetivo é dar dignidade para que essa família possa (por exemplo) ser inserida no mercado de trabalho”, finalizou.