Família

Relato de mãe: “Meu filho é transgênero”

Americana compartilhou um texto sobre a primeira vez que o filho foi para a escola como uma menina

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: Nicole Talbot)

(Foto: Nicole Talbot)

Jeanne Talbot vive com a filha transgênero Nicole, de 16 anos de idade, nos Estados Unidos. A menina, que nasceu com o sexo masculino, decidiu mudar completamente de gênero aos 13 anos de idade. A mãe conta que no início não foi fácil, mas que agora luta pelos direitos da filha. Leia o depoimento abaixo publicado no site HuffPost:

“Nicole nasceu com o sexo masculino, e é como eu a via e como inicialmente a criei. Mas minha filha começou a insistir muito cedo que era na verdade uma garota. Demorei 12 anos para perceber o que ela sabia desde o começo: era uma menina. Eu tive que aprender que aquilo não se tratava de influência e sim da verdade.

Deixei meus preconceitos de lado e fui pesquisar, me encontrei com especialistas, médicos profissionais e conversei com pais que estavam passando pela mesma situação. Apesar de ter aceitado que meu filho na verdade era uma menina, nunca me livrei do medo por saber que seria um caminho bem difícil.

Quando Nicole começou a viver completamente como uma garota, principalmente na escola, ela quis ser vista e se vestir como uma menina. A escola tomou cuidados, porque apesar dela ser a primeira estudante transgênero, não seria a última. Os funcionários e professores começaram a ser treinados para se ajustar a situação para que Nicole fosse tratada sem diferença, como os demais estudantes.

Mas minha filha não quis esperar tanto tempo, ela estava cansada de fingir ser um garoto na escola. Eu liguei para o colégio e disse: ‘Ela está indo como menina amanhã’. Aquela manhã foi cheia de expectativa e ansiedade. Nós esperávamos o melhor, preparadas para o pior. Será que as crianças iriam aceitá-la? Seus amigos iriam rejeitá-la? Os professores e a administração a tratariam bem?

Nenhum dos nossos medos se materializou. Os amigos foram preparados para receber minha filha como Nicole e sabiam que qualquer piada de mau gosto seria considerada bullying. Minha filha passou a ser Nicole em todos os lugares e de todas as formas. Na escola, não tive que me preocupar com nada. O que um dos diretores disse alegrou muito meu coração: ‘Nicole, você é nossa melhor professora!’.

A melhor professora! Professora que vive autêntica, ensina coragem, perseverança e escolhe o certo mesmo sendo o caminho mais difícil. Minha filha não é diferente da sua. Nicole tem sonhos e quer um dia participar da Broadway. Ela passa muito tempo na internet e tem lições de casa todos os dias. Ser transgênero é só mais uma das suas características”.  

(Foto: Nicole Talbot)

(Foto: Nicole Talbot)

 

(Foto: Nicole Talbot)

(Foto: Nicole Talbot)

Leia também:

Casal transgênero prova: família é tudo!

Menino faz compras em loja “só para meninas” e mãe agradece o atendimento através de carta

Criança Transexual: menino ou menina?

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não