São Paulo registra primeiro dia sem mortes pela Covid-19 no estado

Segundo dados do Vacinômetro, mais de 70% da população do estado já receberam a segunda dose da vacina

Resumo da Notícia

  • Estado de São Paulo não registrou nenhuma morte pela Covid-19, pela primeira vez
  • Os dados são em razão à quantidade de pessoas que já receberam as duas doses da vacina
  • Mais de 70% da população já recebeu o esquema de vacinação completo

Nesta última segunda-feira (8), o estado de São Paulo registrou, pela primeira vez, um dia sem mortes pela Covid-19, de acordo com informações do Governo do Estado. A média diária móvel continua sendo de 73 pessoas, apesar de o estado não ter nenhum registro de óbitos pela doença.

-Publicidade-

Tal comparação leva em consideração o número da última semana. Como o cálculo precisa-se de um tempo maior do que os registros diários, é possível medir de forma de maior confiança à tendência do contexto de pandemia. O valor desta segunda é 23% maior do que o registrado em 14 dias. Embora o estado ainda tenha altos números de casos pela Covid-19, há uma estabilidade de mortes abaixo de 100 em quase um mês.

Tal diminuição se leva em consideração a quantidade de pessoas que receberam as duas doses da vacina. Atualmente, mais de 70% da população do estado já foram imunizadas. Devido a isso, São Paulo fechou o mês de outubro com o menor número de óbitos desde o início da pandemia.

Gráfico mostra queda no número de óbitos pela causados pela covid-19. Em 8 de novembro de 21, o estado de São Paulo registrou pela primeira vez 0 mortes
Gráfico mostra queda no número de óbitos pela causados pela covid-19. Em 8 de novembro de 21, o estado de São Paulo registrou pela primeira vez 0 mortes (Foto: Reprodução / Ministério da Saúde / G1)

De acordo com os dados do Vacinômetro, 73,4 milhões de doses foram aplicadas no estado até às 16h56 desta segunda-feira (8), representando: 100% da população adulta com uma dose; 89,5% da população adulta com esquema vacinal completo; 83,9% da população total com uma dose; 70,4% da população total com as duas doses.

Recentemente, a Pfizer divulgou que irá pedir permissão para o uso da vacina contra a Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos, a partir de novembro, no Brasil. É necessário a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para levar o projeto adiante.

A única vacina que possui autorização para ser aplicada em adolescentes no Brasil, é a Pfizer. No entanto, a dosagem aplicada seria menor do que as outas faixas etárias. Ao invés de de 30 microgramas, será 10 microgramas para crianças. Segundo o comitê de especialistas que auxilia a FDA (Food and Drug Administration, agência regulatória dos EUA), os benefícios da vacinação superam todos os riscos.

Segundo a farmacêutica, as crianças têm o potencial de se tornar “o principal motor da pandemia em um futuro próximo”. E que sem a vacinação, as crianças estão mais vulneráveis a serem afetadas pela doença: “permaneçam em risco de contrair covid e continuem a servir como um grande ‘reservatório’ para transmissão comunitária”, finalizou.