Família

Ter compaixão vai além de se colocar no lugar do outro, é tentar ajudar!

Como você trabalha isso na sua casa?

Jéssica Anjos

Jéssica Anjos ,filha de Adriana e Marcelo

(Foto: iStock)

(Foto: iStock)

A palavra da vez é compaixão. Segundo Gabrielle Picholari, coaching de propósito de vida, filha de Gustavo e Fani, cultivar esse sentimento é um fator essencial para o nosso bem estar pessoal e profissional. Os problemas familiares podem ser resolvidos com mais facilidade a partir do momento em que a gente começa a se colocar no lugar do outro.

Mas vai além disso, a Gabrielle explicou para a gente que muitas pessoas confundem compaixão com empatia. Já parou para pensar sobre a diferença entre os dois? “Imagina que você está num barco e vê uma pessoa se afogando, ali do seu lado. Ver esta cena e sentir agonia seria empatia, porém quando a gente tem compaixão, além de sentir o desespero do outro vamos tentar ajudar”.

Só que, veja bem, não é apenas tentar ajudar, a autocompaixão nos ajuda a avaliar nossos recursos antes de tomar uma atitude. Você pode querer salvar a pessoa de se afogar, mas não saber nadar. Então, o caminho mais óbvio é buscar ajuda. “Compaixão é uma habilidade da tão famosa inteligência emocional”.

Quando desenvolvemos essa habilidade lidamos melhor com os conflitos dentro de casa. Você se coloca com mais facilidade no lugar do seu filho. Uma coisa que a especialista comentou, que acontece bastante entre as famílias, é que os pais colocam muita expectativa sobre as crianças. “Seu filho pode interpretar papéis por não querer te frustrar”, explica a coaching. Isso é ruim para a formação, limita!

Incentive a criança a ser quem ela é. Como? Primeiro incentivando você mesma! Para ajudar as famílias a coaching montou um programa chamado Olhar Fértil, nele ela aconselha pais e filhos sobre o relacionamento entre eles. “Quero que as pessoas possam florescer”.

Dia 6 de março, no Espaço Florescer, vai rolar uma palestra da Gabi e Tania Savaget para você aprender a cuidar de si mesma e resolver os conflitos familiares da melhor forma. Faça a sua inscrição gratuita pelo e-mail olharfertil@gmail.com

Programa Olhar Fértil Família

Onde: Espaço Florescer (Rua Tácito de Almeida, 107, Pacaembu, São Paulo)

Dia: 6 de março

Horário: 19h30 às 21h

Entrada: Gratuita

Inscrição: olharfertil@gmail.com

Leia também:

5 coisas que vão mudar no seu relacionamento depois da gravidez

Mãe também é gente! 5 sinais de que sua autoestima não vai bem

3 passos para criar filhos com autoestima elevada

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não