Vídeo flagra mulheres abandonando dois cachorros na rua no Rio de Janeiro

As imagens foram gravadas por um comerciante que viu toda a cena de longe

Resumo da Notícia

  • Duas mulheres estão sendo investigadas por maus tratos
  • As duas abandonaram dois cachorros na rua do Rio
  • As cenas foram gravadas por um comerciante local

Duas mulheres foram flagradas abandonando dois cachorros na rua. O caso aconteceu em Rio Comprido, Zona Norte do Rio. As imagens foram gravadas por um comerciante que viu toda a cena de longe, a mulher retira um cachorro do porta-malas de um carro e larga o animal na calçada. Na sequência, a outra mulher tira o segundo animal do veículo pela porta de trás de passageiros.

-Publicidade-

A cena foi gravada na Rua Itapiru, uma das principais do bairro. Uma criança acompanha toda a movimentação. No vídeo, os cachorros parecem felizes, mas quando o veículo vai embora, eles partem em velocidade atrás dos donos. Nesta quarta-feira (26), uma equipe da Delegacia de Meio Ambiente da Polícia Civil esteve no Rio Comprido para investigar o caso.

Os cachorros até correm atrás da mulher porém, em vão
Os cachorros até correm atrás da mulher porém, em vão (Foto: Reprodução/Youtube)

O homem que fez o vídeo do abandono também foi localizado. Felipe de Mello é comerciante e trabalha na região. “Mesmo a mulher tentando expulsar os cachorros, os cachorros queriam ficar com ela. Pra tu ver a maldade do ser humano. Depois os cachorros voltaram, a gente deu água e comida, mas o cachorro que foi criado em casa não sabe ficar na rua. A maldade tá dentro da pessoa que faz isso. Deus me livre. É um sentimento de raiva, dá dor só de ver”, contou Felipe ao G1.

No fim da manhã, os agentes conseguiram outras fotos que mostram os cachorros e o carro por outro ângulo. Mas a placa do veículo não pôde ser identificada. “Essa conduta caracteriza delito previsto na lei 9.605, que é o delito de maus-tratos a cães, cuja pena varia de 2 a 5 anos de reclusão. Eu peço a ajuda da população no sentido daquelas pessoas que conheçam a identidade dessas pessoas, que denunciem. Ajudem a Polícia Civil identificar essas pessoas para que, dentro dos trâmites legais, responder pelos atos praticados”, disse o delegado responsável pelo caso, Mário Jorge Ribeiro.