Volta às aulas nesta semana: veja a lista completa de escolas que vão reabrir e como vai funcionar

Alguns estados e cidades, como Pará e Ceará, vão ter o retorno das aulas amanhã (1). Reunimos aqui a previsão de volta às aulas nas redes estaduais, municipais e capitais e também na rede privada

A pandemia do coronavírus interrompeu as aulas presenciais em todas as escolas do país. Até então, somente os estados do Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo têm uma previsão para volta às aulas.

-Publicidade-
Foto: iStock

O único estado que voltou com as aulas presencias foi o Amazonas no dia 10 de agosto. E mesmo nos outros estados que já têm uma previsão de retorno, as datas ainda podem ser alteradas. Nos outros estados e no DF, ainda não existe nenhuma previsão de retorno das aulas presencias, tanto para as redes municipais das capitais e na rede privada.

Para te ajudar, reunimos aqui a previsão de volta às aulas nas redes estaduais, municipais e capitais e também na rede privada:

-Publicidade-

Volta às aulas na rede estadual

Amazonas: retornou em 10 de agosto; professores solicitaram ao governo a suspensão das aulas em decorrência do aumento de casos de Covid-19 na categoria

Rio Grande do Sul: retorno na primeira quinzena de setembro, sem data estimada, começando pela educação infantil

Pará: volta nesta terça (1), englobando os ensinos infantil, fundamental, médio e superior. É válido para municípios que forem classificados com as bandeiras amarela, verde e azul.

Rio de Janeiro: 5 de outubro. Para começar, deverá ser priorizado o retorno às aulas no 9°ano do ensino fundamental e no 3°ano do ensino médio para viabilizar a formatura dos alunos.

São Paulo: 7 de outubro. Na primeira fase, somente 35% dos alunos de cada classe poderão frequentar as escolas a cada dia. Sendo assim, em um dia vai um grupo, em outro dia, o outro.

Santa Catarina: a partir de 13 de outubro. A previsão é que comece com alunos de ensino técnico e ensino médio.

Estados ainda sem previsão: Acre, Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Sergipe e Tocantins.

Escolas da cidade de São Paulo não abrirão em setembro (Foto: iStock)

Volta às aulas nas redes municipais das capitais

Já na rede municipal, apenas três das capitais divulgaram a intenção de volta às aulas, que também estão sujeitas a alterações:

Belém (PA): em setembro, ainda sem data estipulada. O formato adotado será será híbrido, com uma parcela dos alunos presencialmente e outra parcela com atividades educacionais não presenciais

Florianópolis (SC): da mesma forma que a rede estadual, a previsão é que a retomada aconteça a partir de 13 de outubro, com retomada gradual

São Luís (MA): é esperado que a retomada seja em setembro, sem data ainda definida. Quando houver a volta, as atividades presenciais serão fritas três dias por semana, enquanto os demais alunos estarão em aulas remotas, transmitidas por meio de teleaulas.

Demais capitais: sem previsão ou sinalização de data em decorrência da pandemia.

Rede privada

Nas escolas da rede privada, as aulas voltaram no dia 6 de julho em Manaus, a primeira capital do Brasil a voltar com as aulas presenciais.

Em cinco estados, incluindo o Distrito Federal, existe possibilidade de retomada:

Ceará: Nesta terça (1) começando com creches e pré-escolas em Fortaleza; a ida é opcional

Rio Grande do Sul: na primeira quinzena de setembro, sem data estipulada e gradualmente

Rio de Janeiro: 14 de setembro, limitado a um terço da capacidade de alunos em aulas presenciais

Santa Catarina: a estimativa é que a retomada se dê a partir de 13 de outubro, com retomada gradual

Mato Grosso do Sul: 10 de setembro, também de maneira escalonada

Distrito Federal: aulas tinham previsão de retorno em julho na rede privada, porém estão suspensas pela Justiça. No dia 25 de agosto, ficou definido que a retomada acontecerá a partir de 21 de setembro. O governo distrital sinalizou que homologará o que for decidido.

Demais estados: ainda sem previsão.

Fonte: G1 e FDR

-Publicidade-