Menina de 10 anos grávida de cinco meses é impedida de abortar

A suspeita é que ela tenha sido estuprada por mais de uma pessoa

Na cidade de Tauaracá, a 400 quilômetros de Rio Branco, uma menina de 10 anos e que tem deficiência mental e episódios de epilepsia, foi internada em uma maternidade no Acre para a realização de um aborto, segundo informações do Universa.

Grávida de cinco meses, a suspeita é que ela tenha sido estuprada por mais de uma pessoa e por isso teria direito ao aborto. Porém, por conta da idade gestacional (cinco meses), ela foi impedida de passar pelo procedimento.

Suspeitos

Um vizinho da menina, que vive com o pai e uma irmã, foi preso preventivamente, mas ele nega as acusações. Segundo o portal, a polícia da região já identificou outros suspeitos, pessoas que poderiam ter cometido o crime, mas como o caso segue em segredo de justiça, não teve mais detalhes.

“Ela tem o desenvolvimento mental reduzido e não consegue se expressar. Por causa disso, ainda não conseguimos fazer um retrato falado em que ela aponte o autor ou os autores. Mas ninguém está descartado”, disse o delegado Ricardo Casas ao Universa.

(Foto: Getty Images)

Saúde da menina

Ainda segundo informações, o estado de saúde da menina é estável e ela está sendo acompanhada por uma psicóloga, além de receber os cuidados do pai.

De acordo com publicação feita nas redes sociais pela vereadora Janaína Furtado, decidiram esperar o nascimento do bebê. “A justiça vai aguardar o nascimento do bebê para realizar o exame de DNA e identificar quem é o pai do bebê, entre os suspeitos apontados por ela”, escreveu no texto.

Leia também

Mãe que queria abortar filho com Síndrome de Down ganha processo contra hospital

Mãe recusa pedido de médico para abortar filha que nasceu sem braços e dá resposta emocionante

Mães desabafam sobre doenças raras dos filhos após mulher dizer que abortaria bebê