Criança

Andressa Suita e Adriana Sant’anna falam de namoro entre os filhos e geram polêmica nas redes sociais

As crianças tem menos de 2 anos

Izabel Gimenez

Izabel Gimenez ,filha de Laura e Décio

Andriana e Andressa geram polêmicas nos comentários (Foto: Reprodução/Instagram)

Os filhos de Adriana Sant’anna e Andressa Suita fazem sucesso na internet, as duas são mães de dois e adoram compartilhar as fotos dos pequenos nas redes sociais. No domingo (20), Adriana postou um vídeo da filha mais  nova Linda, de 1 ano e um dos comentários gerou polêmica!

Andressa Suita, que é mãe de Gabriel e Samuel, comentou “Essa minha nora é muito linda”, fazendo refêrencia ao “namoro” do filho mais velho dela com a filha mais nova da ex-BBB. Adriana respondeu “Muito! Ela não vê a hora de usar as bolsas da sogrinha”. Por mais que tenha sido em tom de piada, muitos dos seguidores afirmaram que aquilo era uma adultificação das crianças e que não era legal.

Andriana e Andressa geram polêmicas nos comentários (Foto: Reprodução/Instagram)

As opiniões foram divididas, muitos acharam fofos e já começarem a “shippar” o casal, mas outros comentaram negativamente a atitude das mães. “Estão pulando as etapas da infância das crianças e acham normal”, escreveu uma delas. “Criança não namora e nem de brincadeira“, disse outra. 

A psicanalista Soraia Bento Gorgatti,  membro do Instituto da Família explica que dos 3 aos 6 anos, as crianças estão imersas em experiências de paixões, além de perceber as diferenças corporais entre homem e mulher. Ela conta que toda essa tensão relacionada à idade está ligada à fase do Complexo de Édipo. Com o tempo, eles percebem que os pais já têm companhia e procuram outro “namoradinho”, na verdade um amigo mais especial. Amigo, certo?

Quando a coisa passa do limite é que os pais e professores precisam interferir. “Para que o desenvolvimento da criança siga um curso adequado, os adultos precisam colocá-la no seu devido lugar”, diz a psicoterapeuta Silvia Petrilli. Ou seja: no lugar de criança. Cabe a nós explicar aos filhos que gente pequena não namora, mas tem amigos, gosta e sente carinho por eles. Namoro mesmo, só depois de grande.

Para que eles entendam o que os adultos querem dizer, não dá para incentivar nem ficar falando no assunto o tempo todo. Pode esquecer aquelas brincadeirinhas do tipo “fala pra sua avó da sua namoradinha” ou “me conta, filha, você namora aquele menino bonitinho da sua sala?”. É aquela velha e boa medida do meio-termo: não pode incentivar nem reprimir demais. Nada de fazer do namorico um assunto, porque não é. “Proibir nunca é uma boa estratégia quando se trata de sexualidade. Quanto mais bola os pais derem para o tema, mais eles reforçam o comportamento, pois a criança saca rapidinho como provocar os adultos”, afirma Maria Cecília Pereira da Silva, autora do livro Sexualidade Começa na Infância.

Leia também: 

Atenção! Vídeo explica para as crianças a diferença entre carinho e abuso sexual 

10 coisas que não devemos dizer às crianças 

Tempo recomendado de uso da internet por crianças de 6 a 12 anos é de 2 horas por dia; entenda