Relato: “Eu não sinto vergonha por usar um caso de uma noite pra engravidar do meu filho”

Tina Lynn Tolmon-Young tinha receio de conseguir realizar o sonho de ser mãe por conta do avanço da idade e decidiu tentar a sorte com um homem que conheceu no Facebook

Resumo da Notícia

  • Uma mulher decidiu usar o caso de uma noite para engravidar do filho
  • Ela tinha o sonho de ser mãe e estava com medo de não conseguir com o avanço da idade
  • A mulher garante que não se sente envergonhada pela atitude

Tina Lynn Tolmon-Young afirma que não sente remorso ou arrependimento por ter se aproveitado do caso de uma noite para engravidar do filho. Não, o ocorrido não foi acidental, ela planejou e chegou a rezar antes do encontro para que o plano desse certo.

-Publicidade-
Mulher que queria ter filho "usa" caso de uma noite para realizar o sonho
Mulher que queria ter filho “usa” caso de uma noite para realizar o sonho (Foto: Getty Images)

Segundo a mulher, desde o início, ela tinha claro que não queria ter nenhum tipo de relacionamento com o pai da criança e muito menos envolvê-lo nos cuidados da rotina. Ao jornal Mirror UK, a mulher deu mais detalhes do sentimento ao ver o positivo no teste de gravidez.

“Foi como ganhar na loteria com um cartão de raspar”, afirmou e completou: “O pai do meu filho não consentiu em estar nessa posição, mas escolheu ter sexo sem proteção. Eu não me sinto péssima por isso, eu não sinto vergonha por nada sobre mim e certamente não sinto vergonha em como consegui meu filho”.

Ela conheceu o homem por meio do Facebook, já que era amigo de um amigo dela, e optou por cortar o contato durante a gravidez, apenas revelando tudo após o nascimento do bebê, batizado de Eric.

Depois de terminar um relacionamento de anos, ela decidiu dar uma última chance para o sonho da gravidez. Tina alega ter ficado desesperada por estar envelhecendo e não conseguir engravidar. A mulher ainda afirmou que o fato de ter usado um caso de uma noite para engravidar “prova” o quanto ela queria um filho.

O caso que aconteceu há 6 anos e Tina explica: “Eu tenho todos os detalhes do pai de Eric, quando meu filho estiver grande o suficiente, se alguém quiser contatá-lo, eu posso facilitar isso”. Segundo ela, assim como outras mães solo, ela é feliz em fazer tudo sozinha, sem ajuda.

Quando questionada porque ela não tentou outro método para engravidar como doação de esperma, ela rebateu: “Tem muito lixo aí”, sobre adoção ela acreditou que não seria uma candidata aceita por ser uma mãe solo e ter histórico de depressão.

Sobre os julgamentos, a mulher, aos 43 anos, diz não ser seu problema se as pessoas criticam a forma como ela engravidou e garante que será honesta com o filho quando chegar a hora. “Ele sabe que é a coisa mais importante da minha vida. Ele ficará mortificado quando crescer, mas é isso que você faz com seus filhos”, finaliza.