Homem é preso por matar bebê de namorada 5 semanas após se conhecerem na internet

Um julgamento feito na última segunda-feira condenou Kamran Haider do assassinato da bebê

Resumo da Notícia

  • Um homem foi condenado por assassinato nesta segunda-feira
  • Kamran Haide matou o bebê de sua namorada 5 semanas depois de se conhecerem
  • Asiyah Amazir, a mãe do bebê, está desolada e ficou com medo das atitudes do namorado

Um homem de 40 anos foi preso nesta semana por matar um bebê de apenas 16 meses de vida. O caso aconteceu em 2019, em Londres na Inglaterra, a mãe da bebê, Asiyah Amazir, conheceu Kamran Haide em um aplicativo de namoro e 5 semanas depois, Nusayba Umar estava morta.

-Publicidade-

Kamran era criador de cães e segundo informações do site The Mirror o homem foi condenado nesta segunda-feira. “Eu nunca vou esquecer os eventos que levaram à morte de Nusayba enquanto eu viver. Eu me lembro vividamente das coisas que ela sofreu e aquele barulho que ela fez no último dia de sua vida vai me assombrar para sempre”, declarou Asiyah durante o julgamento.

A mãe e a filha haviam se mudado para a casa de Kamran para ajudar com seu negócio de criação de cães. No início, ela contou que não tinha preocupações reais com o comportamento do namorado – embora ele pudesse ser “áspero” e “verbalmente agressivo”. Mas quinze dias antes do ataque fatal, sua filha sofreu um ferimento na cabeça enquanto estava sob os cuidados de Kamran. Desde então, ele teria passado a se tornar cada vez mais ameaçador para a mãe e filha.

A bebê tinha apenas 16 meses quando faleceu
A bebê tinha apenas 16 meses quando faleceu (Foto: Reprodução/The Mirror)

No dia do assassinato de sua filha, Asiyah contou que ouviu a menina chorando e seu namorado mandando ela “calar a boca”, seguido pelo som de um tapa.  A mãe diz que a bebê não parecia ter ferimentos externos, mas notou que ela “não parecia ela mesma”.

Devido à extrema força com que foi sacudida, a criança teve sérios danos cerebrais e convulsionou. Asiyah saiu correndo com a filha no colo para conseguir ajuda. Quando os paramédicos chegaram, ela disse que a menina adoeceu em um ônibus, mais tarde ela revelou ao júri que mentiu porque estava com medo do namorado.

“Eu nunca vou vê-la crescer, ouvir sua primeira frase completa, ver seu primeiro dia na escola, a queda de seu primeiro dente, sua primeira birra e todos os outros belos marcos que uma mãe testemunha ao longo da vida de seus filhos”, desabafou Asiyah. Apesar de considerado culpado, a Juíza responsável pelo julgamento adiou a sentença de Kamran até 30 de março, afirmando que acusado recusou a comparecer à sua audiência e que gostaria que ele esteja presente na próxima.