Mãe faz relato de arrepiar sobre protocolos que a impediram de segurar as filhas recém-nascidas

Kara Bennett testou positivo para covid-19 um dia antes de entrar em trabalho de parto. Por isso, para o portal WZZM13, a mãe contou como se sentiu angustiada por não poder pegar as filhas gêmeas no colo assim que elas chegaram ao mundo

Resumo da Notícia

  • Uma mãe contou ao portal americano WWZM13 que se sentiu muito mal por não poder pegar as filhas gêmeas recém-nascidas no colo na maternidade
  • Kara Bennett testou positivo para covid-19 um dia antes de entrar em trabalho de parto
  • Por isso, fez um desabafo de arrepiar sobre o afastamento das bebês neste momento tão importante

Kara Bennett testou positivo para covid-19 um dia antes de entrar em trabalho de parto. Por causa disso, foi impedida de segurar as filhas no colo no hospital que deu entrada, por conta de protocolos de prevenção do coronavírus. Contudo, a situação lhe cortou o coração – e ela fez um desabafo de arrepiar ao portal WZZM13.

-Publicidade-

Kara e Casey já estão com os quartos das filhas prontos, e há meses vinham se preparando para este momento especial. Contudo, para Kara, esse momento se tornou distante e ela mal consegue se sentir como uma mãe ao ter contato com as meninas apenas por video.

Não parece que eu tenho filhos”, disse ela, “eu perdi esses momentos críticos de vínculo inicialmente. Eu sei a importância disso. Na sala de cirurgia, ao lado, elas foram trazidos até mim por um minuto para ver seus rostos e dizer ‘oi’. E então elas foram levados para a UTIN. Então, foram cerca de 5 segundos de estar perto, mas eu realmente não podia tocá-las, nem nada”.

Casey, o pai, também desabafou sobre o ocorrido. Segundo ele, mesmo sabendo que as crianças precisem que estar na UTIN para se recuperar de complicações, também acredita que elas devem ter um momento de vínculo com a mãe.

O período de isolamento de Kara por causa da covid-19 acaba em breve e, diante disso, ela falou sobre a expectativa de finalmente conhecer as filhas. “É difícil dizer como elas se parecem, ou diferenciá-las. Eu as vejo nas mãos de Casey e elas são tão pequenos, mas ainda não senti isso. Segure firme e nunca solte”.

O hospital em que as meninas chegaram ao mundo fez uma nota oficial, se explicando e se desculpando com relação ao descontentamento dos pais. Segundo eles: “A saúde e a segurança de nossos pacientes, suas famílias e membros de nossa equipe são de extrema preocupação. crianças nessas situações. Durante a pandemia do covid-19, a Spectrum Health seguiu de perto as diretrizes do CDC, ao mesmo tempo em que trabalhava para implementar maneiras inovadoras e compassivas, como tecnologia de vídeo, para as famílias se conectarem”.

E continua, “Ao fazer isso, tomamos decisões difíceis destinadas a minimizando o risco de exposição a outros pacientes, famílias e membros da equipe vulneráveis. Nossos corações estão com todos os nossos pacientes, suas famílias e membros da comunidade que foram impactados pelo covid-19”.