Covid-19: Anvisa libera Coronavac para pessoas de 6 a 17 anos, exceto imunossuprimidos

A liberação da vacina foi feita nesta quinta-feira, 13 de janeiro. O intervalo entre as duas doses é o mesmo para adultos: de 28 dias

Resumo da Notícia

  • A vacina da Coronavac foi liberada para crianças e adolescentes de 6 a 17 anos de idade
  • A anvisa aprovou o uso do imunizante na manhã de hoje, 20 de janeiro
  • O intervalo entre as duas doses é o mesmo dos adultos - de 28 dias

Na manhã desta quinta-feira, 20 de janeiro, a Anvisa liberou o uso de Coronavac para a imunização de crianças e adolescentes de 6 a 17 anos de idade. Contudo, o imunizante foi vetado para imunossuprimidos, isto é, pessoas com baixa imunidade.

-Publicidade-

Até agora, se sabe que o intervalo entre a primeira e a segunda dose da coronavac para este público segue o mesmo tempo que o dos adultos, de 28 dias. Além disso, pessoas com comorbidades também estão liberadas para tomar a vacina. A vacina aplicada em crianças também será a mesma aplicada nos adultos – diferente da Pfizer, que possui uma fórmula diferente para a faixa etária.

A Anvisa aprovou a Coronavac em crianças e adolescentes de 6 a 17 anos
A Anvisa aprovou a Coronavac em crianças e adolescentes de 6 a 17 anos (Foto: Getty Images)

Não foi determinado quando, a partir daí, serão distribuídas doses do imunizantes para os estados do Brasil. Contudo, o pedido para a liberação da Coronavac foi feito pelo Instituto Butantan para começar a imunizar crianças.

A Coronavac está sendo usada para a vacinação de crianças em outros locais do mundo: Camboja, Chile, China, Colômbia, Equador, Hong Kong e Indonésia já estão imunizando parte de suas crianças com o fabricante. O Brasil emitiu um primeiro pedido para a liberação da vacina em julho do ano passado, que foi negado.

O Instituto Butantan emitiu uma nota oficial sobre a liberação da Coronavac para a imunização de crianças de adolescentes de 6 a 17 anos. Confira abaixo:

O Butantan informa que nesta quinta-feira (20) foi aprovado, por unanimidade, o uso emergencial da vacina CoronaVac, produzida pelo instituto em parceria com a biofarmacêutica chinesa Sinovac, para aplicação em crianças e adolescentes brasileiros de 6 a 17 anos. 

A autorização ocorreu após avaliação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ao pedido enviado pelo instituto em 15 de dezembro de 2021, embasado em estudos de segurança e resposta imunológica vindos de países como Chile, China, África do Sul, Tailândia e também do Brasil. 

A CoronaVac é cientificamente comprovada como a vacina mais segura e com menos efeitos adversos, além de ser a vacina mais utilizada em todo o mundo, com mais de 211 milhões de doses administradas no público infantil e juvenil (de 3 a 17 anos) somente na China. 

O Instituto Butantan, que há 120 anos trabalha a serviço da vida, está preparado para fazer parte de mais esta batalha para derrotar o vírus da Covid-19 no país.