Polícia investiga 12 endereços à procura de diretora de escola infantil que torturava crianças

Roberta Serme foi acusada de tortura e maus-tratos mas está foragida

Resumo da Notícia

  • A Polícia está em busca da diretora de uma escola infantil na zona leste de São Paulo
  • Vídeo que mostram crianças amarradas na escola foram vazados na internet
  • A diretora ainda está foragida

A Polícia de São Paulo ainda está na busca pela diretora da escola infantil Colmeia Mágica, na zona leste de São Paulo, a mulher está sendo acusada de tortura e maus-tratos após vídeo de crianças amarradas vazarem nas redes sociais. As autoridades já verificaram 12 endereços diferentes à procura de Roberta Serme, mas sem sucesso ainda.

-Publicidade-

Roberta Serme, de 40 anos, que também é uma das donas da Escola Infantil Colmeia Mágica, teve a prisão temporária por 30 dias decretada em 22 de março pela Justiça. Mas até a última atualização desta reportagem, a diretora não havia se entregado ou sido presa. Desde então é considerada foragida.

Justiça decreta prisão de diretora de escola investigada por maus-tratos
Justiça decreta prisão de diretora de escola investigada por maus-tratos (Foto: reprodução redes sociais)

A escola fica na Vila Formosa, foi fundada em 2002 e atende crianças de 0 a 5 anos, do berçário ao ensino infantil. O G1 revelou o caso ao mostrar vídeos com os alunos da Colmeia Mágica amarrados, com os braços imobilizados, como se usassem ‘camisa de força’, chorando, presos a cadeirinhas de bebês dentro de um banheiro da escolinha. As crianças estão embaixo de uma pia e perto de uma privada.

Para o Ministério Público (MP), que acompanha o caso, os vídeos das crianças amarradas, as fotos de algumas delas machucadas após saírem da escolinha, e os depoimentos de testemunhas (professoras que trabalhavam na Colmeia Mágica e pais de alunos) que estão com a polícia mostram que os alunos sofreram “intensos sofrimentos físicos e psicológicos”.