Vizinha reclama de choro do bebê e mãe responde com carta irônica e divertida

O caso aconteceu em Singapura e viralizou mundo à fora por meio das redes sociais depois que a mulher compartilhou foto do bilhete que enviou à vizinha

Resumo da Notícia

  • Uma mãe recebeu uma reclamação da vizinha sobre o choro do seu bebê de cinco meses
  • Em resposta, ela escreveu uma carta cheia de humor e ironia
  • O caso viralizou nas redes sociais depois que a mãe compartilhou foto da carta enviada à vizinha

A mãe de uma bebê de cinco meses respondeu da melhor maneira à uma vizinha que reclamou do choro da criança. Geralyn Amy Yeh, de Singapura, recebeu um bilhete bem rude em que a mulher que mora ao lado pedia para que ela fechasse a porta quando a bebê começasse a chorar, para que eles não ouvissem mais, e ainda pediu que a mãe fosse “mais atenciosa” com a situação.

-Publicidade-

O bilhete dizia: “Olá, você poderia fechar a porta quando o bebê chorar durante o dia? Atualmente estamos trabalhando em casa, por favor, seja mais atenciosa”. Como se não bastasse, ela ainda foi até a casa da família reclamar do barulho e falou diretamente com a funcionária da família.

Bilhete enviado pela vizinha (Foto: Reprodução / The Sun / Geralyn Amy Yeh/Facebook)

Geralyn resolveu responder à vizinha, mas de uma maneira diferente da que ela fez, e usou muita ironia, o que tornou a carta divertida e fez com que o caso virasse notícia não apenas na imprensa local, mas em todo o mundo, segundo o The Sun.

-Publicidade-
A mãe encontrou um jeito de responder à vizinha sem ser rude, como ela foi quando enviou o bilhete (Foto: Getty Images)

Educada, ela começou escrevendo um pedido de desculpas e contando que também está trabalhando de casa neste período. Supondo que a vizinha não tenha filhos, ela resolveu explicar que quando os bebês ficam irritados, costumam chorar. “É assim que eles se comunicam e eu não tenho magia para impedi-la de chorar ou fazê-la crescer mais rápido para que ela possa se comunicar sem chorar”, diz  a carta.

Ela segue a explicação, mas desta vez adicionando um pouco de humor e ironia. “Não consigo controlar quando ela quer chorar, seja de dia ou de noite. Mas fique tranquila, demos a ela um severo aviso no dia em que recebemos seu feedback. Não tenho certeza se ela entendeu muito bem, mas ela parecia séria depois de ouvir, e nos deu um olhar triste e com pena”.

A bebê tem apenas cinco meses, e a vizinha reclamou do choro dela (Foto: Getty Images)

Na sequência, ela explica que por conta do clima de Singapura manter a porta fechada nem sempre será uma opção, mas logo traz a solução para a vizinha. “Eu acredito que você sabe o quão quente e abafado pode ser… Se eu não conseguir abrir a porta durante muito tempo, a bebê tende a ficar mal-humorada e vai chorar ainda mais alto e por mais tempo. Sugerimos que você feche a porta ou trabalhe em casa, numa sala silenciosa. Fones de ouvido também podem ser bons para minimizar o barulho”.

Para finalizar, ela pede que a vizinha não procure mais a funcionária da família para reclamar ou gritar com ela, porque isso assustou a moça e a bebê, e ainda diz: “Se as sugestões acima não puderem te ajudar, aconselho você a procurar a polícia e órgãos oficiais para saber se eles têm outras sugestões”.

Carta de resposta da mãe à vizinha (Foto: Reprodução / The Sun / Geralyn Amy Yeh/Facebook)

O 9º Seminário Internacional Pais&Filhos – A Tal da Felicidade está aí! Ele vai acontecer no dia 19 de agosto, completamente online e grátis. Serão oito horas de transmissão ao vivo e você pode acompanhar tudo neste link aqui. Esperamos por você!

-Publicidade-