Confira quais estados que não vão exigir pedido médico para vacinar crianças contra a Covid-19

De acordo com o Ministério da Saúde, a vacina pode começar a ser aplicada em crianças de 5 a 11 anos, a partir de janeiro

Resumo da Notícia

  • Veja abaixo quais estados não vão exigir pedido médico
  • A vacinação pode começar a ser aplicada em janeiro de 2022
  • A imunização será aplicada em crianças de 5 a 11 anos

No Brasil, 19 estados, além do Distrito Federal afirmam que não vão exigir pedido médico para realizar a imunização de crianças entre 5 a 11 anos contra a Covid-19. Eles acrescentam dizendo que irão seguir a decisão do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde).

-Publicidade-

Entre os estados estão: Acre, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Pará, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, São Paulo, Santa Catarina e Sergipe.

Estados que não vão exigir pedido médico
Estados que não vão exigir pedido médico (Foto: Getty Images)

A vacina contra covid-19 para pessoas de 5 a 11 anos foi autorizada pela Anvisa no dia 16 de dezembro e desde então o governo tem se reunido e pedido a opinião da população para conseguir definir como essa campanha funcionará. Segundo a Agência, a farmacêutica BioNTech enviou os dados e os estudos de segurança de indicação da vacina para crianças no dia 12 de novembro.

Mais sobre a autorização da Anvisa

Luiz Vicente Ribeiro, da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia,  apresentou o parecer oficial sobre a aplicação da vacina: “O nosso parecer é favorável a incorporação da vacina da Pfizer para crianças na faixa etária de 5 a 11 anos”.

Gustavo Mendes, especialista em Regulação e Vigilância Sanitária da GGMED, apresentou a linha do tempo do estudo da Anvisa, que foi desde a submissão do pedido até a conclusão do resultado, divulgado às 10h30 da manhã.

“A vacina tem um desempenho importante na geração de anticorpos nessa população”, afirmou o especialista. Ainda de acordo com ele, a Pfizer tem um desempenho satisfatório para a variante Delta.

A vacina de crianças deverá ser diferente daquela aplicada em adultos. O imunizante para maiores de 12 ano é de 30 microgramas e possui diferentes substâncias em sua composição, o que acaba influenciando também no volume injetado no corpo.

Países como Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, França, Espanha, Coreia, Austrália e Holanda já apresentaram um esquema internacional do uso da vacina em crianças e adolescentes.

Suzie Marie Gomes, Gerente-Geral da GGMED, comentou sobre as complicações adversas apresentadas em crianças que receberam alguma dose da vacina contra o coronavírus, e reiterou o aval final: “Por fim, os benefícios superam os riscos”.