Criança de 2 anos é internada após ficar mais de um minuto submersa em piscina

O caso aconteceu em Brasília no último domingo. A criança se afogou durante um almoço em família

Resumo da Notícia

  • Uma criança de 2 anos se afogou durante um almoço em família
  • Os adultos estavam distraídos quando sentiram falta do menino
  • A criança está internada em uma UTI

No último domingo, 27 de fevereiro, uma criança de dois anos foi internada em uma Unidade de Tratamento Intesiva (UTI) em Brasília após se afogar em uma piscina e ficar submersa por aproximadamente um minuto e meio na água.

-Publicidade-

De acordo com os familiares da criança, estavam todos almoçando quando sentiram falta dela. Quando procuraram pelo menino, ele estava submerso na piscina. O pai o tirou de dentro da água e fez procedimentos de reanimação até o socorro chegar.

Foram até o local quatro viaturas, 15 militares do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) e uma aeronave às 15h16. Quando a equipe chegou na residência da família, o SAMU já estava realizando uma ressuscitação cardiopulmonar na criança.

Criança fica submersa em piscina e é internada em UTI
Criança fica submersa em piscina e é internada em UTI (Foto: Getty Images)

A parada cardiorrespiratória foi revertida e a criança foi transferida para o Hospital Santa Helena, localizado na Asa Norte, após ter seus sinais vitais estabilizados.

No Brasil, os afogamentos são a segunda causa de morte entre crianças de 1 a 4 anos. E a grande maioria deles acontece quando ignoramos os riscos e não respeitamos os limites. Como as crianças não têm maturidade e nem noção do que pode ser perigoso ou não, cabe aos pais e responsáveis orientar e supervisionar o tempo todo. Especialmente porque o afogamento nem sempre acontece só em piscinas ou praias.

As crianças, principalmente as menores, podem se afogar em baldes, bacias e até no vaso sanitário. Quando são pequenas, a cabeça e os membros superiores das crianças são mais pesados que o restante do corpo. Fica fácil perder o equilíbrio, cair e depois não saber como levantar. Por isso mesmo, todo cuidado é pouco. Para saber mais sobre afogamento infantil e como evitá-lo, clique aqui.