Menino se afoga na piscina em poucos segundos e vídeo impressiona: saiba como prevenir acidentes

O caso aconteceu Greenville nos Estados Unidos e envolveu um menino de três anos que já passa bem

Menino se afoga mas tio socorre a tempo (Foto/ reprodução Metro UK)

Um menino de 3 anos saiu da vista dos adultos por alguns segundos e acabou se afogando na piscina. A criança ficou submersa por quase 90 segundos na piscina inflável na casa do tio em Greenville, Estados Unidos.

-Publicidade-

Assim que se deu conta, o tio da criança rapidamente pulou na piscina para resgatar o menino. A criança foi levada às pressas para o hospital. Apesar dele ter passado um tempo considerado debaixo d’água, felizmente a criança não sofreu nenhuma complicação e já passa bem! Ufa, que susto.

-Publicidade-

Após o susto, a família viu as imagens da câmera de segurança e ficou em choque. O menino sobe as escadas, perde o equilíbrio e cai dentro da piscina. Os pais se surpreenderam com a rapidez e a facilidade com que esses acidentes podem acontecer.

Sempre em alerta

No Brasil, o afogamento é a segunda causa de morte entre bebês e crianças de 0 a 14 anos, segundo dados da ONG Criança Segura. Especialistas em segurança alertam que o afogamento pode ser silencioso e as crianças podem morrer em minutos sem que ninguém perceba. “Muitos pais não percebem que é preciso apenas alguns segundos para que uma criança entre na água e se afogue”, explica Peter Harzheim, da Federação Alemã de Supervisores de Piscinas, em entrevista ao jornal britânico The Independent.

Confira algumas dicas do Criança Segura para evitar afogamentos: 

  • Nunca deixe crianças sozinhas quando estiverem dentro ou próximas da água, nem por um segundo. Nessas situações, garanta que um adulto estará as supervisionando de forma ativa e constante o tempo todo;
  • Tenha um telefone próximo à área de lazer e o número do atendimento de emergência sempre visível (SAMU: 192; Corpo de Bombeiros: 193);
  • Fique atento! Crianças pequenas podem se afogar em qualquer recipiente com mais de 2,5 cm de água ou outros líquidos, seja uma banheira, pia, vaso sanitário, balde, piscina, praia ou rio;
  • Piscinas devem ser protegidas com cercas de no mínimo 1,5 m de altura e portões com cadeados ou trava de segurança. Atenção! Alarmes e capas de piscina garantem mais proteção, mas não eliminam o risco de acidentes;
  • Evite deixar brinquedos e outros atrativos próximos à piscina e reservatórios de água;
  • Mantenha cisternas, tonéis, poços e outros reservatórios domésticos sempre trancados.

Confira o vídeo do canal Mãe em Dia, da nossa colunista e embaixadora Bianca Arcangeli, mãe de Thomas, sobre regras de segurança com as crianças na piscina:

Leia também:

Acidentes são a principal causa de mortes de crianças com mais de 1 ano no Brasil

Bebê morre afogada enquanto mãe amamentava outro filho: “Estou em pedaços, mas preciso seguir”

6 maneiras de dar banho no bebê sem afogá-lo

-Publicidade-