Vacina contra covid-19 pode começar a ser aplicada em crianças em janeiro, diz Ministério

Em nota, eles ressaltaram que ainda estão aguardando os resultados da pesquisa pública sobre a vacinação nesta faixa etária

Resumo da Notícia

  • Vacina contra covid-19 pode começar a ser aplicada em crianças em janeiro, diz Ministério
  • Em nota, eles ressaltaram que ainda estão aguardando os resultados da pesquisa pública sobre a vacinação nesta faixa etária
  • O documento afirmou que a posição será mantida caso o posicionamento não mude na conclusão do processo

O Ministério da Saúde divulgou uma nota na noite da última segunda-feira, 27 de dezembro, sobre a vacinação de crianças contra a covid-19. No comunicado, o Ministério se posicionou como favorável à vacinação de pessoas de 5 a 11 anos e falou, ainda, que a campanha para esse público deve começar logo no início de 2022, ainda em janeiro.

-Publicidade-

Apesar disso, o Ministério decidiu fazer uma ressalva e deixar claro que ainda está ouvindo a população, que está opinando sobre a vacinação desta faixa etária por meio de uma consulta pública. O documento afirmou que a posição será mantida caso o posicionamento não mude na conclusão do processo.

Vacina contra covid-19 pode começar a ser aplicada em crianças em janeiro, diz Ministério
Vacina contra covid-19 pode começar a ser aplicada em crianças em janeiro, diz Ministério (Foto: reprodução/ Getty Images)

A vacina contra covid-19 para pessoas de 5 a 11 anos foi autorizada pela Anvisa no dia 16 de dezembro e desde então o governo tem se reunido e pedido a opinião da população para conseguir definir como essa campanha funcionará. Segundo a Agência, a farmacêutica BioNTech enviou os dados e os estudos de segurança de indicação da vacina para crianças no dia 12 de novembro.

Mais sobre a autorização da Anvisa

Luiz Vicente Ribeiro, da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia,  apresentou o parecer oficial sobre a aplicação da vacina: “O nosso parecer é favorável a incorporação da vacina da Pfizer para crianças na faixa etária de 5 a 11 anos”.

Gustavo Mendes, especialista em Regulação e Vigilância Sanitária da GGMED, apresentou a linha do tempo do estudo da Anvisa, que foi desde a submissão do pedido até a conclusão do resultado, divulgado às 10h30 da manhã.

“A vacina tem um desempenho importante na geração de anticorpos nessa população”, afirmou o especialista. Ainda de acordo com ele, a Pfizer tem um desempenho satisfatório para a variante Delta.

A vacina de crianças deverá ser diferente daquela aplicada em adultos. O imunizante para maiores de 12 ano é de 30 microgramas e possui diferentes substâncias em sua composição, o que acaba influenciando também no volume injetado no corpo.

Países como Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, França, Espanha, Coreia, Austrália e Holanda já apresentaram um esquema internacional do uso da vacina em crianças e adolescentes.

Suzie Marie Gomes, Gerente-Geral da GGMED, comentou sobre as complicações adversas apresentadas em crianças que receberam alguma dose da vacina contra o coronavírus, e reiterou o aval final: “Por fim, os benefícios superam os riscos”.