Família

“A maternidade veio para me mostrar o que era felicidade de verdade”, afirma Lia Cassano

O sonho de ser mãe se tornou maior do que a realização profissional – e Lia conseguiu unir as duas coisas

Helena Fonseca

Helena Fonseca ,filha de Bethania e Paulo

Lia Cassano

(Foto: Ju Penteado Fotografia/Acervo Pessoal)

Por meio do projeto “Lá em casa é assim”, parceria da Pais&Filhos com a Natura Mamãe e Bebê, estamos conhecendo muitas famílias, uma diferente da outra. São vários modelos e formas diferentes de criar os filhos – e estamos aprendendo muito com todos vocês! A Lia Cassano contou pra gente como conseguiu aliar a maternidade à sua vida profissional. Venha conhecer!

“Meu nome é Lia e sou mãe de três: a Eva, de 3 anos e meio, e os gêmeos Lis e Tomé, de 10 meses.

Eu sempre tive dois grandes sonhos na minha vida: ter uma família e filhos, e ser bem sucedida profissionalmente em uma empresa. Conheço meu marido, Renan, há mais de 15 anos! Nossa vida foi sempre muito planejada! Começamos a namorar e em seguida decidimos nos casar. Para isso, voltei pra minha cidade no interior, Piracicaba (SP), saí do meu emprego como repórter de TV, e abri uma agência de comunicação. Nos casamos e curtimos o dia a dia a dois durante 4 anos. Viajamos muito, nos divertimos e nos curtimos demais!

Até que decidimos engravidar e tivemos a Eva, a menina mais meiga, tranquila e leve que eu conheço! Ela veio para me fazer repensar minha rotina workaholic na agência. Na época, eu atendia mais de 30 clientes, tinha um escritório estruturado e seis funcionários. Eu trabalhava cerca de 12 horas por dia! Eu era feliz, mas a Eva veio para me mostrar o que era felicidade de verdade! E eu percebi que meu sonho de ter filhos talvez fosse muito maior do que o de ser bem sucedida.

Fiz algumas adaptações na empresa e consegui flexibilizar. Passei a trabalhar apenas no período da tarde, para ter as manhãs livres pra Eva. E foi assim durante dois anos, quando planejamos engravidar novamente!

Mas a vida nos mostrou que não adianta querer ter tudo sob controle. Havíamos planejado mais um filho, mas vieram os gêmeos! Lis e Tomé vieram para mexer no meu mundo, para mostrar que se você não for leve, tranquilo e apreciar os pequenos prazeres da vida – como ficar no ócio com seus filhos – o tempo vai passar rápido demais e você terá perdido tudo.

Como você pode imaginar, quando descobri a gravidez de gêmeos percebi que minha vida nunca mais seria a mesma. Eu não queria terceirizar a educação e os cuidados dos meus filhos. Eu queria estar presente todo tempo! Então comecei a questionar minha relação com o trabalho, a relação maternidade x carreira. Conversando com amigas grávidas ou recém-mães, eu percebi que todas se sentiam desconfortáveis com a ideia de voltar a trabalhar depois de uma curta licença-maternidade. Todas queriam estar presentes na vida dos filhos e, se possível, na primeira infância inteira, mas a minoria podia. Grande parte teria que deixar seus bebês, de apenas 4 ou 5 meses, num berçário ou aos cuidados de terceiros por mais de 8 horas por dia. Isso me pareceu tão injusto!

Foi então que conversando com a Carmem, uma amiga querida que estava grávida na mesma época que eu, que começamos a pensar em como poderíamos ajudar essas mães através das nossas experiências, minha como empreendedora, dela como executiva e de ambas como mães.

Os gêmeos nasceram em março de 2017 e em abril nasceu o Grupo M.Ã.E. – Maternidade Aliada ao Empreendedorismo. O grupo foi lançado oficialmente em agosto, em Campinas (SP), e tem como objetivo o incentivo, estímulo e visibilidade ao empreendedorismo materno. Fazemos workshops de capacitação com especialistas, eventos de inspiração sobre maternidade, encontros de relacionamento e networking, assim como a divulgação dos negócios maternos.

De agosto pra cá já falamos com mais de 3 mil pessoas pessoalmente e mais de 45 mil pessoas online. Temos centenas de associadas ativas em seis estados do Brasil, e no primeiro semestre deste ano lançaremos uma plataforma on-line para aproximar ainda mais nossas mães empreendedoras.

Hoje minha principal função é ser mãe! Em seguida, me dedico ao Grupo M.Ã.E. Fortalecer a causa do empreendedorismo materno com certeza impacta nos meus filhos, pois hoje eles têm a mãe o tempo todo presente, e no futuro entenderão que é necessário fazer mudanças, mudar sonhos – lembra que o meu era ser bem sucedida numa empresa? – para ser protagonista da própria história!”.

Queremos conhecer sua família também! Mande para a página Lá em casa é assim. Estamos esperando!

Leia também

Vem ver o primeiro vídeo do projeto “Lá em casa é assim”

“Abolimos o castigo e adotamos a conversa”, conta Alexandre Maia

Lá em casa é assim: “Morar em uma casa compartilhada é entender que o mundo é muito maior”