Adenomiose: o que é, quais são os sintomas e como é o tratamento

Essa doença ginecológica é semelhante à endometriose e se manifesta de maneira diferente em cada organismo: algumas mulheres com adenomiose podem ser assintomáticas e outras podem sofrer com cólicas intensas e dificuldade para engravidar

Resumo da Notícia

  • A adenomiose é uma doença ginecológica considerada "prima" da endometriose
  • Ela acontece quando o endométrio invade o miométrio
  • Seus sintomas - quando sentidos - são cólicas fortes e fluxo menstrual intenso, além de dificuldade para engravidar

A adenomiose é um problema ginecológico que pode ser considerado “primo” da endometriose. Ele acontece quando o endométrio, camada mais interna do útero, se infiltra no miométrio, também chamado de músculo uterino.

-Publicidade-

Essa doença pode acometer qualquer mulher, acontece aleatoriamente e pode se manifestar de maneira diferente em cada paciente: algumas pessoas serão assintomáticas e descobrirão o problema durante um exame de imagem, enquanto outras terão sintomas como cólicas muito fortes e dificuldade para engravidar. Veja quais outros problemas podem causar cólicas na mulher.

Endometriose ou adenomiose?

Para entender a diferença entre esses dois problemas, vale imaginar um abacate: ele possui casca, polpa e caroço. A endometriose acontece quando o caroço – o endométrio – envolve por fora a casca do abacate (no caso, o útero). No caso da adenomiose, é como se houvesse pedaços de caroço dentro da polpa: há endométrio infiltrado no miométrio. Saiba mais sobre o que é endometriose e como tratar o problema.

Sintomas da adenomiose

  • Aumento do volume do útero
  • Cólica menstrual intensa
  • Aumento do fluxo menstrual
  • Dificuldade para engravidar
  • Sangramento anormal e irregular em mulheres entre 40 e 50 anos
A adenomiose é a presença de endométrio infiltrado no miométrio (Foto: Getty Images)

A adenomiose pode afetar a gravidez?

Pode. A adenomiose dificulta a implantação do embrião, que acontece no endométrio. Por isso, é importante realizar exames para identificar a doença e poder fazer acompanhamento com um médico especialista em fertilização assistida.

11º Seminário Internacional Pais&Filhos – A Sua Realidade

Está chegando! O 11º Seminário Internacional Pais&Filhos vai acontecer no dia 1 de junho, com oito horas seguidas de live, em formato completamente online e grátis. E tem mais: você pode participar dos sorteios e ganhar prêmios incríveis. Para se inscrever para os sorteios, ver a programação completa e assistir ao Seminário no dia, clique aqui!

Tratamentos para adenomiose

O tratamento para a adenomiose é feito, normalmente, com pílulas anticoncepcionais à base de progesterona ou com o DIU hormonal (Mirena). Esses contraceptivos bloqueiam a menstruação e ajudam a controlar a doença, mas o tratamento definitivo para ela é a retirada do útero, chamada de histerectomia.

Para mulheres que querem engravidar, existem tratamentos específicos que ajudam a manter a adenomiose controlada. É importante mencionar que, como essa doença se manifesta de maneira diferente em cada organismo, existem pessoas que só descobrem através de um exame de imagem pois são assintomáticas e conseguem engravidar normalmente, sem qualquer tipo de dificuldade. Para ter mais tranquilidade quando for aumentar a família, consulte um especialista.

Como é feito o diagnóstico da adenomiose?

É necessário realizar exames imagéticos para identificar a adenomiose: pode ser a ultrassonografia ou a ressonância magnética da pelve. Este último é o mais indicado, já que tem uma melhor definição e é mais fácil identificar a doença.

Fontes: Dr Igor Padovesi, Ginecologista e Obstetra da USP e do Hosp. Albert Einstein, colunista e embaixador da Pais&Filhos, e pai de Beatriz e Guilherme (www.igorpadovesi.com.br).