Alok e Romana Novais relembram parto de emergência: “Achei que ela pudesse não ficar viva”

Por causa de complicações da Covid-19, a recém-nascida segue internada em uma UTI neonatal em São Paulo. O DJ e a médica, contaram detalhes do drama que ainda estão vivendo

Resumo da Notícia

  • Romana Novais e Alok, relataram com emoção o parto da segunda filha, Raika
  • Por causa de complicações da Covid-19, a recém-nascida segue internada em uma UTI neonatal em São Paulo
  • Além da menina, eles são pais de Ravi

Neste último domingo, 13 de dezembro, Romana Novais e Alok, relataram com emoção o parto da segunda filha, Raika. Por causa de complicações da Covid-19, a recém-nascida segue internada em uma UTI neonatal em São Paulo. O DJ e a médica, contaram em entrevista ao Fantástico, detalhes do drama que ainda estão vivendo.

-Publicidade-
Alok e Romana Novais falam sobre parto de Raika (Foto: Reprodução / Fantástico)

Durante uma conversa com a repórter Renata Ceribelli, os pais mostraram as primeiras fotos de Raika, de onze dias, que permanece numa UTI neonatal. “Cheguei na clínica com Alok para ser avaliada e a gente fez um ultrassom mas de repente, em poucos minutos, quando eu estava me trocando pra fazer outro exame, e comecei a sangrar muito, muito, muito, muito e fiquei muito assustada. Eu sangrava sem parar, tinha sangue pela sala inteira. O Alok ficou muito nervoso”, contou Romana.

A médica ainda conta que durante o parto só pensava em salvar Raika. “Eu só gritava: ‘eu preciso salvar a minha filha, eu estou com muita dor, está doendo demais’. Era uma dor que não dá pra descrever e… muito sangue, muito sangue. A gente seguiu direto pro hospital no carro, já estava imaginando que ela estava prestes a vir ou pior, né? Eu achei que ela pudesse não ficar viva”, disse emocionada.

Alok relembrou os primeiros momentos após o parto. “As primeiras 48 horas foram extremamente complicadas, eu só consegui ficar rezando, pedindo a Deus pra tudo dar certo e que não seria certo. Mas a romana foi…”, desabafa Alok.

Visitar a filha na UTI

Romana que testou positivo para covid-19 ainda falou sobre o sentimento de não poder segurar a filha. “Para mim é o mais difícil de tudo assim, sabe? Porque mãe né? A gente quer estar, amamentar e o sonho de amamentar assim, eu não tive. Foi muito rápido o nosso contato quando ela nasceu. Fiquei tão assustada com tudo que não quis nem tocar muito nela por causa da COVID e logo tiraram ela de mim, levaram ela para a UTI e a gente se separou”, relembra.

Alok, demonstrou apoio a esposa. “A Romana tem sido uma grande guerreira. Faz nove dias que ela já não consegue ficar com a Raika porque ainda não testou negativo para o COVID. Eu consegui ver ela depois de sete dias, uma semana depois. Primeiro fui abraçar o meu filho, o Ravi. Fiquei grudado com ele, depois fui pra maternidade e eu fico sempre passando as informações pra Romana também”, disse.

Agora, Romana vê a filha por vídeo chamada. “A gente faz vídeo chamada, a única forma que eu tenho de estar mais perto dela agora, é dessa forma, né? O que mais me assustou foi que o quadro se agravou muito rápido. Na segunda-feira eu comecei com sintomas de dor no corpo, um pouco febril, na terça-feira também”, conta.