Após acidente com cola instantânea, criança consegue abrir o olho pela primeira vez

Sofia estava com o olho grudado com cola instantânea desde a última quinta-feira, tentando procurar auxílio médico

Resumo da Notícia

  • Criança grudou o olho com cola instantânea
  • A família dela procurou tratamento
  • Ela conseguiu abrir o olho pela primeira vez nesta quarta-feira

Depois de grudar o olho com cola instantânea na última quinta-feira, 16 de junho, Sofia Gabriele, de 2 anos de idade, conseguiu abrir o olho pela primeira vez durante esta quarta-feira, 22 de junho. A criança precisou passar por um tratamento ocular no olho direito, além de precisar remover todos os cílios no Hospital de Base do Distrito Federal.

-Publicidade-
Após acidente com cola instantânea, criança consegue abrir o olho
Após acidente com cola instantânea, criança consegue abrir o olho (Foto: Reprodução/Metrópoles)

Segundo informações dadas pelo portal Metrópoles, a madrinha da menina comemorou o sucesso do procedimento: “Está sendo um alívio gigantesco. Perceber que ela não teve sequelas após quase uma semana sendo negligenciada é uma vitória muito grande. Tudo que nós queríamos ela era bem.”

O tratamento realizado tinha chances de lesionar a córnea da criança, sendo um procedimento delicado. Porém a menina vai seguir tratando com um oftalmologista para não deixar sequelas.

Relembre o caso

Uma menina de 2 anos grudou partes do corpo, inclusive o olho, com cola instantânea durante a última quinta-feira, 16 de junho, em Ceilândia, região administrativa do Distrito Federal. A criança procurou atendimento médico especializado na rede pública da região, mas não conseguiu.

Conforme apurado o site Correio Braziliense, Lia Lucena, a madrinha da criança, contou um pouco sobre como tudo aconteceu: “Eu não sei se a cola espirrou no olho dela ou se ela pegou o tubo e passou, mas grudou tudo imediatamente. Além dos cílios, a cola atingiu as mãos, a roupa e o corpo dela”, disse a madrinha para o portal.

Depois do ocorrido, a criança foi levada para o Hospital de Base: “A médica disse para passar Coca-Cola (refrigerante) nas mãos e no rosto, e que a gente fizesse compressa com água morna”, explicou Lia.

Criança de 2 anos gruda o olho com cola instantânea
Criança de 2 anos gruda o olho com cola instantânea (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal Correio Braziliense)

Porém, fazer o procedimento indicado pela médica piorou a situação. Na manhã do dia seguinte, 17 de junho, a família percebeu que o rosto da criança estava inchado, procurando outro hospital para buscar respostas, mas não conseguindo novamente.

Ela explicou que o feriado influenciou na falta de respostas, já que no segundo hospital que eles foram tinha apenas um médico atendendo. O profissional recomendou que a criança fizesse uma cirurgia, mas que não poderia realizar o procedimento naquele hospital, por isso a família retornou para o Hospital de Base para fazer a cirurgia.

Porém, Lia explicou que eles não tiveram sucesso novamente: “A médica que nos atendeu disse novamente que era pra esperar, porque até domingo a cola poderia sair por completo do corpo da minha afilhada, mas claro que isso não aconteceu. No sábado, o rosto dela amanheceu inchado e vermelho.”

Criança de 2 anos gruda o olho com cola instantânea
Criança de 2 anos gruda o olho com cola instantânea (Foto: Getty Images)

Depois de diversas tentativas sem sucesso, a madrinha explicou a situação para o portal, durante a última segunda-feira, 20 de junho, na tentativa de conseguir alguma ajuda: “Fomos em dois hospitais hoje e retornamos para casa mais uma vez sem solução. Desde quinta-feira estamos nos deslocando de Ceilândia até o Plano Piloto e ninguém nos ajuda. Procurei a mídia porque não sei mais o que fazer, e minha afilhada está sentindo dor. A cola da pele saiu e das mãos também, com removedor, mas como vamos fazer com os olhos?”, disse Lia.

De acordo com informações dadas pela página, o Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal Iges-DF) se posicionou de nota na última segunda-feira: “O Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (IgesDF) informa que a criança já foi avaliada pela equipe de oftalmologia do Hospital de Base do DF (HBDF) nos dias 16 e 17 de junho, porém, não orientou a realização de cirurgia, e sim compressas mornas e aplicação de pomada local. Nesta segunda-feira, 20 de maio, a criança já está sendo atendida novamente e uma nova avaliação já está sendo feita pela equipe de oftalmologia de plantão, que prestará todos os cuidados necessários”.